Agência S&P mantém selo de bom pagador para o Brasil; Tesoureiro do PT vira réu. Nos jornais de terça (24)

24/03/2015 07h41m. Atualizado em 25/03/2015 07h56m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A agência de risco Standard&Poor’s decidiu manter a classificação de risco do Brasil onde estava e não reduzi-lo, como se temia. Um alívio para o governo na área econômica. A agência informou que o ajuste fiscal é uma das razões para manter o Brasil com o selo de bom pagador. Mas a presidente Dilma está prometendo mudar pontos do ajuste. Na frente política, o tesoureiro do PT João Vaccari Neto virou réu. Estas são notícias em destaque nos jornais desta terça-feira (24).

“Agência S&P mantém selo do Brasil de bom pagador” diz a Folha de S Paulo, na manchete, publicando a explicação dada pela agência. A expectativa é de que o ajuste fiscal será mantido pela presidente e isso irá restaurar lentamente a credibilidade nas contas públicas.

“Dilma promete a Lula e ao PT que vai rever pontos do ajuste fiscal” é a manchete do Estado de S. Paulo. Os pontos seriam as MPs 664 e 665, que propõem mudanças no seguro desemprego e no acesso às pensões por morte. O Globo informa que “Paes vai à Justiça contra Dilma para reduzir a dívida”. Trata-se do projeto aprovado no Congresso que muda a fórmula de pagamento das dívidas das cidades e dos Estados com a União, reduzindo o débito. Segundo o jornal, a presidente retarda em por a lei em prática. A cidade mais beneficiada pela redução será São Paulo. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, é do PMDB.

O outro destaque dos jornais é que tesoureiro do PT virou réu. A Justiça Federal do Paraná aceitou denúncia do Ministério Público contra João Vaccari Neto, o ex-diretor de Serviços Renato Duque e o ex-gerente da diretoria de Serviços Pedro Barusco sobre a acusação de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Barusco informou que Vaccari atuava em favor das empreiteiras.

Estudo da Fiesp também ilustra as páginas dos jornais prevendo que a recessão em 2015 será de 1,7%. Ouvidos semanalmente pelo Banco Central, economistas do mercado prevêem inflação de 8% no ano.

Já o Valor diz, em manchete, que alguns bancos já estão reduzindo o risco de racionamento de energia exatamente pelo menor demanda causada pela recessão e pelo aumento de tarifas que leva ao menor consumo. Este é o título do Valor Econômico: “mercado vê mais distante o risco de racionamento”. O Valor também informa que as 23 empreiteiras envolvidas nas denúncias por formação de cartel podem receber multas aplicadas pelo CADE que somam R$ 13 bilhões.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.