Petrobras vende ativos; Moro e Janot prometem chegar ao último culpado. Nos jornais de terça (3)

03/03/2015 07h17m. Atualizado em 04/03/2015 07h24m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Petrobras venderá ativos; O procurador-geral da República avisa que quem tiver que pagar vai pagar na operação Lava Jato; Juiz Sérgio Moro defendeu que “se siga o dinheiro” para saber quem é o último culpado pela corrupção; Camargo Corrêa fala em propina em Belo Monte; Ajuste de Levy divide o governo. Estes são alguns dos destaques dos jornais desta terça-feira (3).

O Globo traz como manchete a frase de Moro em uma sala de aula de direito em Curitiba. “É preciso seguir o dinheiro para chegar ao chefe, diz juiz”. Já a Folha traz a frase de Rodrigo Janot num encontro com um grupo manifestantes no qual recebeu um cartaz dizendo “Janot você é a esperança do Brasil”. A manchete da Folha de S.Paulo é: “’Quem tiver que pagar vai pagar’, afirma procurador”. O Valor diz também que Janot pedirá e o ministro do Supremo Teori Zavaski deve atender e retirar o sigilo dos autos da Operação Lava Jato.

“Petrobras planeja vender US$ 13,7 bilhões em ativos” é destaque maior do Estado de S. Paulo. Segundo a reportagem, ela venderá entre outros uma refinaria no Japão. O novo presidente da companhia prevê vender 150% mais ativos nos próximos anos do que estava no planejamento de Graça Foster. A ideia é encolher e ficar mais concentrado no negócio principal da companhia. Em comunicado à CVM, a estatal informou que venderá até alguns campos de gás.

A manchete do Valor é que a “Grande empresa corta investimento”. Com a divisão do PT sobre as medidas enviadas ao Congresso, um jantar do ministro Joaquim Levy com a bancada foi suspenso nesta segunda (2). Já a presidente Dilma fez um jantar com o PMDB, no qual não compareceu o presidente do Senado, Renan Calheiros.

Outros destaques: Caminhoneiros seguem para Brasília na continuação do protesto; O déficit da balança comercial foi o maior para fevereiro desde 1980; O secretario de Recursos Hídricos de São Paulo diz que a situação é de “penúria hídrica”; O presidente da Câmara Eduardo Cunha recua da decisão de dar passagens aos cônjuges dos parlamentares; O Ministério Público pediu pelo cancelamento do benefício.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.