PT no Congresso é contra ajuste fiscal. “Empresas Lava Jato” pedem empréstimo ao BNDES. Nos jornais de segunda (2)

02/03/2015 08h02m. Atualizado em 03/03/2015 07h57m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A resistência do PT às medidas do ajuste fiscal proposto pelo governo Dilma Rousseff é o principal obstáculo ao pacote do ministro Joaquim Levy. Levantamento feito pelo O Globo mostra que 40 de 59 parlamentares ouvidos são contra as medidas e vinte estão dispostos a desobedecer o Planalto na votação. “Petistas no Congresso rejeitam ajuste fiscal”, diz a manchete do Globo nesta segunda (2).

O Estado de S. Paulo fez um levantamento no BNDES sobre os pedidos das empresas envolvidas na Lava Jato. “Empresas da Lava Jato pedem R$ 31 bi ao BNDES”. São para obras de óleo e gás e em outros projetos de infraestrutura que elas são responsáveis, como aeroportos. O BNDES tem feito novas exigências.

Em manchete, Folha informa que “CPI da Petrobras deverá investigar só era petista”. O tema da “Lista do Janot” está também em destaque nas primeiras páginas. Ele trabalhou no fim de semana junto com um grupo de 11 procuradores preparando a lista dos políticos que passarão a ser investigados pela Procuradoria Geral da República.

O advogado Modesto Carvalhosa diz em entrevista à Folha que a presidente Dilma está incidindo em crime de responsabilidade no caso Lava Jato por se negar a aplicar a lei anti corrupção e articular anistia a empreiteiros através dos acordos de leniência feitos pela Advocacia Geral da União. O MP soltou nota contra essas negociações, que envolvem também a Controladoria Geral da União.

O Estadão informa também que, pelo diferencial de taxa de juros, o governo banca um terço do financiamento do Fies, mecanismo pelo qual estudantes carentes estudam em universidades particulares.

O Valor Econômico diz que o “Ajuste já atinge R$ 111 bi e não poupa área social”. O destaque internacional é a manifestação de 20 mil pessoas em Moscou contra Vladimir Putin pelo assassinato de um líder da oposição. Na China, o governo cortou juros para incentivar a economia.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.