A democracia grega escolheu “odiar a morte da luz”; Por Clara Favilla

26/01/2015 19h32m. Atualizado em 27/01/2015 20h49m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Yanis Varoufakis, o novo ministro da Grécia, tem 53 anos, e vinha se relacionando com a população em uma série de postagens em seu blog. Também é adepto do twitter (https://twitter.com/yanisvaroufakis). Tem 126 mil seguidores. É conhecido pela fidelidade pessoal ao primeiro ministro Alexis Tsipras. Estudou na Universidade de Essex com passagens pelas universidades da Austrália, Grécia e Estados Unidos. Costuma, em suas análises, combinar muito Keynes com pitadas de Marx.
Em entrevistas antes das eleições, Varoufakis prometeu com veemência destruir oligarcas gregos: “Vamos destruir a base sobre a qual e construíram década após década um sistema, que viciosamente suga a energia e o poder econômico dos demais segmentos da sociedade”. Prometeu também acabar com o que considera crise humanitária na Grécia e renegociar a divida externa do país. Terá papel chave nas conversas com os credores.
Varoufakis comemorou a vitória de seu partido, parafraseando o poeta galês Dylan Thomas.
Disse: “A democracia grega escolheu não mergulhar suavemente na noite escura. Escolheu odiar a morte da luz”. Uma das traduções disponíveis dos versos de Dylan é:
Não entres nessa noite acolhedora com doçura,
Odeia, odeia a luz cujo esplendor já não fulgura

Apesar da veemência na citação poética, alguns conhecedores do Grécia confiam que o professor de Economia Varoufakis terá uma atitude construtiva na administração dos desafios que tem pela frente. Prova disso, é que tem falado, ultimamente, em minimização de conflitos para dar reais chances a um acordo mutuamente benéfico para a Grécia e seus credores. Acredita-se também que, no poder, o primeiro ministro Syriza pode se revelar mais pragmático do que os mais céticos vinham prevendo.

Clara Favilla

Clara Favilla é jornalista. "Mais do que conhecer novos lugares, amo retornar. Reportariar é meu ofício. Vivo viajando, até pela quadra onde moro, em Brasília. Escreverei sobre viagens aqui. Serão impressões pessoais,mais do que guias. Espero que gostem, deem retorno e sugestões."

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.