Cai estoque de água nas cidades. Energia ameaçada se reservatórios não subirem. Manchetes dos jornais de domingo (25)

25/01/2015 07h14m. Atualizado em 26/01/2015 08h32m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

“Estoque de água na Grande São Paulo cai 74% em um ano” é a manchete do Estado de S.Paulo. Ao lado, outra reportagem na primeira página avisa que “para evitar racionamento de energia, represas terão que dobrar”. O volume dos reservatórios das hidrelétricas no Sudeste e Centro-Oeste terão que sair de 17,28% atualmente para 35% até abril para que o país consiga evitar o racionamento. O problema é que o nível nos reservatórios tem caído em plena época de chuvas. O volume de água em São Paulo caiu de um trilhão de litros nos seis mananciais em janeiro de 2014 para 267,8 bilhões atualmente. A crise hídrica que ameaça o abastecimento de água e o risco de racionamento de luz são os destaques dos jornais deste domingo (25).
A Folha traz na manchete a informação de que “Seca atinge metade das regiões metropolitanas”. Rio, SP, BH, Recife, Campinas são algumas das regiões atingidas. Cinco das dez maiores regiões estão sofrendo os efeitos da seca. Informa que, em São Paulo, “todos os reservatórios chegarão a zero em cinco meses caso seja mantido o atual ritmo de chuvas e consumo”.
A presidente Dilma, que tem mantido silêncio em época de tantas crises, disse a assessores que o ajuste durará dois anos. Na terça-feira, na primeira reunião ministerial, ela vai defender o ajuste fiscal. Em Davos, o ministro Joaquim Levy disse que o “Brasil decidiu mudar”, informa O Globo em chamada na primeira. Na manchete, o Globo diz que “falta de água já afeta 46 milhões de brasileiros” e informa que a “produção industrial e de energia devem ser prejudicadas”. Há quase mil municípios em estado de emergência por causa da crise hídrica. Em outra reportagem, o jornal mostra que vítimas de enchentes ocorridas em anos anteriores esperam há mais de quatro anos pela ajuda das autoridades. Em Petrópolis, por exemplo, há desabrigados da enchente de 2011. A falta de entrosamento dos setor público e a burocracia impedem que eles tenham ajuda.
O Estadão traz também na primeira página uma entrevista com Armínio Fraga em que ele diz que “Levy é uma ilha cercada de mediocridade”, e criticou a crise de valores: “É mensalão, é petróleo, como se tudo fosse muito natural, não é”. O Tribunal de Contas da União está tentando reverter a decisão tomada de punir executivos e ex-executivos da Petrobras no caso Pasadena. O novo relator do caso é o governista Vital do Rêgo. No noticiário internacional, o destaque é para a crise na Argentina com desdobramentos da morte do promotor Alberto Nizman na véspera da denúncia que faria contra a presidente Cristina Kirchner e a eleição hoje na Grécia que pode dar a vitória à extrema esquerda.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.