Ataque terrorista à revista francesa Charlie Hebdo choca o mundo; Vídeo

07/01/2015 11h12m. Atualizado em 08/01/2015 06h57m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O terror chegou em Paris, na França, nesta quarta-feira (7). De acordo com o jornal Le Monde, 12 pessoas morreram em um tiroteio na capital. Entre os feridos estão jornalistas e funcionários da satírica revista Charlie Hebdo e dois policiais.
Ao chegar ao local do atentado, o presidente francês, François Hollande, confirmou que tratava-se de um “ataque terrorista”. Outras 10 pessoas ficaram feridas no atentado.
A revista já havia sido atacada anteriormente por muçulmanos radicais que se diziam ofendidos por charges relacionadas ao profeta Maomé. Os Chargistas Geroges Wolinski e o editor Stephane Charbonnier estão entre os mortos.
O Le Monde afirma que testemunhas ouviram os dois atiradores, com metralhadoras Kalashnikov, gritarem palavras de ordem em defesa do “profeta”, além de “Allahou Akbar”.
O plano de segurança francês está em alerta máximo. Jornais e locais onde são realizados cultos estão sob proteção policiais. De acordo com a jornalista Caroline Politi, policiais especialistas em tecnologia forense já estão trabalhando dentro da revista Charlie Hebdo. O governo dos EUA condenou o ataque terrorista à revista.
Trata-se do atentado mais sangrento desde 1835. “Os terroristas estavam informados e sabiam que toda quarta, por volta das 10 horas, havia nossa reunião semanal. O restante da semana é muito tranquilo, não tem quase ninguém no escritório”, disse um jornalista da revista que estava de folga.
De acordo com o editor-chefe do Charlie Hebdo, Gerar Biard, atualmente em Londres, “as ameaças eram menos frequentes nesse dias. Por isso esse ataque é ainda mais chocante para nós”.
Vídeo publicado no site do jornal Daily Mail está entre os mais visto do dia na internet. De acordo com a publicação, as imagens mostram terroristas trocando tiros com policiais no local.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.