Governo afia a tesoura e anunciará cortes. Nos jornais desta quarta (7)

07/01/2015 06h47m. Atualizado em 08/01/2015 08h16m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O governo anunciará cortes nos gastos públicos antes de o Orçamento ser aprovado. Um decreto presidencial será publicado anunciando algumas medidas. Este é o tema da maioria dos jornais em seu texto principal nas primeiras páginas desta quarta (7). “Governo fará cortes antes de Orçamento ser aprovado”, diz O Globo. “Governo corta gastos para recuperar credibilidade fiscal”, afirma o Estado de S.Paulo. O Globo diz que o decreto presidencial, com cortes nos ministérios, será divulgado hoje. Já o Estado diz “nos próximos dias”. Como não há Orçamento aprovado, o governo só pode gastar 1/12 do previsto para cada área por mês, mas a ideia é reduzir ainda mais nas despesas não obrigatórias. O corte maior para economizar cerca de R$ 65 bilhões só poderá ser feito quando houver Orçamento aprovado. No noticiário sobre os cortes, os jornais falam também que o governo prepara o aumento de impostos e que uma das escolhas recairá sobre taxas para induzir o alongamento das aplicações financeiras.
A notícia também está na primeira página da Folha de S.Paulo, mas a manchete é dedicada a uma decisão tomada na área da Saúde. “Governo anuncia medidas para desestimular as cesárias”. O Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Saúde Suplementar anunciaram regras que obrigarão o médico a fundamentar a opção pelo nascimento através de cesária. Na prática, isso permite os planos recusar a pagamento do parto que for feito sem justificativa.
O Valor Econômico abriu seu noticiário contando que a “Queda dos preços do petróleo repõe perdas da Petrobras”. A empresa passou seis anos importando gasolina mais cara do que vendia no Brasil, mas desde que o petróleo despencou a situação se inverteu. A cotação já chegou a US$ 47. Com essa vantagem, a empresa pode até o final do ano compensar as perdas que teve. Nesta terça (6) circulou a notícia de que o preço da gasolina podia até cair para ajudar na inflação, mas fontes ouvidas pelo Valor negam a possibilidade.
Em todos os jornais está também a notícia de que os metalúrgicos entraram em greve na Volks. Novo desacordo entre os ministros também teve destaque: Patrus Ananias do Desenvolvimento Agrário defendeu a “função social da terra” e disse que “não basta derrubar as cercas do latifúndio”. Kátia Abreu, da Agricultura, havia dito que não há mais latifúndio no Brasil.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.