“Chega de Fiu Fiu” é o mote de campanha contra assédio às mulheres

08/12/2014 12h54m. Atualizado em 08/12/2014 13h10m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

“Fiu Fiu” talvez seja um dos efeitos sonoros mais ouvidos por mulheres de todas as culturas, classes, modos e estilos. Mas a maioria das mulheres sente-se ofendida ou constrangida pela abordagem. Por isso, o Coletivo Olga, em parceria coma Defensoria Pública de São Paulo, acaba de lançar a campanha “Chega de Fiu Fiu” para mostrar que esse tipo de assédio não é natural e sim uma forma de violência de gênero.
Agredida, assediada, violentada e vulnerável foram algumas das expressões utilizadas por entrevistadas da Agência Brasil para se referir ao modo como se sentem nesse tipo de abordagem.
“Não é valorização, não é elogio, não é querer ter um relacionamento, não é flerte”, destaca a jornalista Juliana de Faria, criadora da campanha. Ela aponta que esse assédio está dentro de um contexto de violência marcado pelas desigualdades de gênero. “Talvez isso possa parecer uma questão menor, mas não é. Estamos falando de direitos muito básicos, então isso já é uma grande violência”, declarou.
A Campanha “Chega de Fiu Fiu” ouviu pela internet 7,7 mil mulheres. Segundo a pesquisa, 99,6% já foram assediadas, 81% deixam de sair para não sofrer assédio e 90% já trocaram de roupa por receio de passar por esse tipo de abordagem na rua.
Em Lima, capital do Peru, que também lançou a campanha contra o “Fiu Fiu”, mulheres se disfarçaram e passaram à frente de seus próprios filhos. O resultado foi estarrecedor: mães se tornaram vítimas dos filhos.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.