Aécio reafirma a acusação ao PT e líder petista diz que derrota subiu à cabeça do senador

02/12/2014 09h01m. Atualizado em 02/12/2014 09h38m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A declaração do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Globonews no sábado ( 29) continua repercutindo. O senador comparou o Partido dos Trabalhadores (PT) à uma organização criminosa. “Eu não perdi a eleição para um partido político. Eu perdi a eleição para uma organização criminosa que se instalou no seio de algumas empresas brasileiras patrocinadas por esse grupo político que aí está”.
Nesta segunda-feira (1), em entrevistas a jornalistas em Florianópolis, Aécio Neves relembrou que quem classificou como “organização criminosa” e chamou de quadrilha dirigentes da Petrobras foi a Polícia Federal: essa expressão foi a mesma utilizada pela Polícia Federal no momento em que desbaratava essa quadrilha que atuou durante 12 anos na Petrobras”. Aécio ainda reiterou suas declarações: “Não retiro absolutamente nada do que disse.” O PT avisou que vai à Justiça contra o senador oposicionista.
Da tribuna do Senado, o líder do PT, Humberto Costa (PE), atribuiu as declarações de Aécio Neves não aos desvios de bilhões de dinheiro público na Petrobras, mas ao um sentimento de fracasso do tucano. Humberto Costa disse que, com a comparação, Aécio Neves nega que perdeu a eleição para Dilma e para a coligação de partidos que a apoiou.
“É um caso inusitado em que a derrota subiu à cabeça, em que o fracasso subiu à cabeça. O candidato derrotado – que tem se sentido cada vez mais à vontade na sofrível interpretação do papel de vítima do processo eleitoral – quer, agora, reinventar a história, ao negar que tenha perdido a disputa para a Presidenta Dilma e para a coligação de partidos políticos que apoiaram a candidatura dela.”, disse.
Humberto Costa disse que Aécio Neves perdeu pela “insofismável vontade da maioria dos brasileiros”. Aécio Neves teve 51 milhões de votos contra 54,5 de Dilma Rousseff.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.