Brasil registra crescimento de 7,8% na emissão de gases efeito estufa

19/11/2014 22h50m. Atualizado em 10/12/2014 23h11m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O Observatório do Clima divulgou nesta quarta-feira (19) os dados consolidados no Brasil da emissão dos gases que causam o chamado efeito estufa. O relatório afirma que o país teve um crescimento de 7,8% na taxa de emissão no ano passado, em comparação com 2012 – quando foi registrada queda de 4,7%.

O Observatório do Clima é formado por organizações como Imazon, SOS Mata Atlântica, WWF e outras. De acordo com a rede de entidades da sociedade civil sobre mudanças climáticas, uma das causas principais para o aumento da emissão foi a ampliação do desmatamento.

A informação está certa, mas o problema é mais grave. As emissões subiram por uma confluência de fatores: além do desmatamento, houve aumento nas áreas de energia e agropecuária. A verdade é que todos os setores da economia aumentaram as emissões.

Em virtude desse crescimento generalizado, as emissões per capita aumentaram. Na prática, significa que aumentou pela primeira vez em uma década a intensidade de carbono da economia brasileira. Uma evolução na contramão de tudo que dizem os cientistas e do esforço que fazem as principais economias do mundo, inclusive emergentes.

É o maior retrocesso na política ambiental e climática desde o primeiro governo Lula, quando o Brasil adotou uma política de redução do desmatamento e das emissões de carbono da economia.

O Pará foi o Estado que mais contribuiu para o índice de emissões por desmatamento, seguido do Mato Grosso, cuja atividade principal é a agropecuária.

As emissões de gases de efeito estufa no Brasil correspondem a 3% das emissões globais. Foram 1,5 milhão de toneladas de gases emitidos no país só em 2013.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.