Polícia Federal prende Renato Duque e mais cinco em nova fase da Lava Jato

14/11/2014 09h13m. Atualizado em 15/11/2014 00h07m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A Polícia Federal iniciou nesta sexta-feira (14) mais uma fase da Operação Lava Jato, que investiga desvios milionários e lavagem de dinheiro na Petrobras. A sétima fase da operação acontece em cinco Estados e no Distrito Federal.
Segundo a polícia, a nova etapa é fruto de materiais apreendidos e de depoimentos tomados desde o início da Lava Jato em março deste ano. A PF afirma que foi decretado nesta sexta o bloqueio de aproximadamente R$ 720 milhões em bens pertencentes a 36 investigados.
Desde o início da Lava Jato em março a PF afirma que o esquema movimentou R$10 bilhões.
São 85 mandados sendo cumpridos na nova fase: seis de prisão preventiva, 21 temporárias, nove de conduções coercitivas, além de 49 de busca e apreensão no Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, além do DF.
Reportagem de Rodrigo Rangel, da Veja, antecipou que, entre os presos, está Renato Duque, apontado por delatores do “petrolão” como o homem do PT no esquema criminoso. Ele seria indicado de José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil condenado no julgamento do mensalão.
Duque foi diretor de Serviços da Petrobras até o ano de 2012 e responsável pelas 12 licitações da obra superfaturada da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.
Entre os alvos da operação desta sexta estão também executivos de construtoras investigadas, como Camargo Corrêa, Odebrecht, Engevix, Iesa, Queiroz Galvão e Mendes Júnior.
Funcionários de alto escalão das empreiteiras como o vice-presidente da Engevix Gerson Almada, o vice-presidente da empreiteira Mendes Junior, Sérgio Cunha Mendes, e o presidente da UTC, Ricardo Pessoa, tiveram a prisão decretada.
Em coletiva de imprensa, a PF confirmou também que os executivos da Odebrecht Márcio Faria da Silva, Rogério Campos de Araújo e Saulo Vinicius Rocha Silveira também foram alvos da operação.
De acordo com a polícia, os envolvidos nesta fase serão indiciados pelos crimes de organização criminosa, de formação de cartel, corrupção e fraude à Lei de Licitações e lavagem de dinheiro.

A polícia Federal divulgou nota na qual detalha os mandados por Estado. Leia abaixo:

PR – 2 mandados de busca e 1 mandado de prisão preventiva (todos em Curitiba);

DF – 1 mandado de busca e 1 mandado de prisão preventiva;

MG – 2 mandados de busca (todos em Belo Horizonte);

PE – 2 mandados de busca (todos em Recife);

RJ – 11 mandados de busca, 2 mandados de prisão preventiva e 4 mandados de prisão temporária;

SP (Capital) – 29 mandados de busca, 2 mandados de prisão preventiva, 15 mandados de prisão temporária e 9 conduções coercitivas;

Jundiaí/SP – 1 mandado de busca e 1 mandado de prisão temporária;

Santos/SP – 1 mandado de busca e 1 mandado de prisão temporária.

Os jornalistas Fausto Macedo e Ricardo Brandt, do jornal “O Estado de S.Paulo”, detalharam os nomes dos prisões em primeira mão:
1. Eduardo Hermelino Leite, da Construtora Camargo Correa
2. José Ricardo Nogueira Breghirolli, da OAS
3. Agenor Franklin Magalhães Medeiros, da OAS
4. Sergio Cunha Mendes, da Mendes Júnior
5. Gerson de Mello Almada, da Engevix
6. Erton Medeiros Fonseca, da Galvão Engenharia

Prisão temporária:
1. JOÃO RICARDO AULER (empresa Camargo Correa), Presidente do Conselho de Administração da Construções e Comércio Camargo Correa S.A, São Paulo/SP.
2. MATEUS COUTINHO DE SÁ OLIVEIRA (empresa OAS), São Paulo/SP.
3. ALEXANDRE PORTELA BARBOSA (empresa OAS), Advogado da Construtora OAS, São Paulo/SP
4. EDNALDO ALVES DA SILVA (empresa UTC), São Paulo/SP,
5. CARLOS EDUARDO STRAUCH ALBERO (empresa Engevix), Diretor Técnico da Engevix Engenharia S/A, Osasco/SP
6. NEWTON PRADO JUNIOR (empresa Engevix), Diretor Técnico da Engevix Engenharia S/A, Santos/SP
7. Dalton dos Santos Avancini (empresa Camargo Corrêa), Diretor-Presidente da Camargo Corrêa Construções e Participações S.A., São Paulo, SP
8. OTTO GARRIDO SPARENBERG (empresa IESA), Diretor de Operações da IESA ÓLEO & GÁS S.A., Rio de Janeiro/RJ
9. VALDIR LIMA CARREIRO (empresa IESA), Diretor Presidente da IESA ÓLEO & GÁS S.A., Pinhais/PR
10. JAYME ALVES DE OLIVEIRA FILHO, Rio de Janeiro/RJ,
11. ADARICO NEGROMONTE FILHO, São Paulo/SP,
12. JOSÉ ALDEMÁRIO PINHEIRO FILHO (empresa OAS), presidente da OAS, São Paulo/SP
13. RICARDO RIBEIRO PESSOA (empresa UTC), presidente da UTC Participações S.A., São Paulo/SP
14. WALMIR PINHEIRO SANTANA (empresa UTC), responsável pela UTC Participações S.A., São Paulo/SP
15. CARLOS ALBERTO DA COSTA SILVA, São Paulo/SP (endereço comercial),
16. OTHON ZANOIDE DE MORAES FILHO (empresa Queiroz Galvão), Diretor-geral de desenvolvimento comercial da Vital Engenharia, empresa do Grupo Queiroz Galvão, Rio de Janeiro/RJ,
17. ILDEFONSO COLARES FILHO (empresa Queiroz Galvão), Diretor-Presidente da Construtora Queiroz Galvão S.A, Rio de Janeiro/RJ
18. RENATO DE SOUZA DUQUE, Rio de Janeiro/RJ,
19. FERNANDO ANTONIO FALCÃO SOARES, vulgo ‘Fernando Baiano’, Rio de Janeiro/RJeja a lista dos outros

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.