Cristovam compara a ‘tortura’ o novo cálculo de superávit. Governo pede urgência

13/11/2014 18h22m. Atualizado em 14/11/2014 09h40m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A presidência da República pediu urgência ao projeto de lei que muda a meta de superávit fiscal para 2014. Com isso, a tramitação do projeto dentro do Congresso tera prazos reduzidos.
Com o novo calendário, os parlamentares terão até às 17 h da próxima segunda-feira (17) para apresentar emendas. No dia seguinte, deve ser apresentado o relatório, por parte do senador Romero Jucá (PMDB-RR), que deve ser votado até o dia 19, na Comissão Mista de Orçamento (CMO). Depois, a proposta segue para ser votado no plenário do Congresso Nacional, cuja pauta está trancada por vetos presidenciais.
A mudança na meta do superávit continua provocando polêmica. Nesta quinta-feira (13), o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) comparou a manobra do governo federal para ajustar as contas públicas aos crimes cometidos durante a ditadura.
“Eu espero que aqueles que vieram aqui defender a Comissão da Verdade, como eu vim, defenda a comissão da verdade também para as contas públicas, porque essa é uma forma de tortura também. Esconder as contas públicas traz a tortura da inflação”, disse Cristovam Buarque, na tribuna do Senado.

Atualização: no fim do dia, governo retirou a urgência do projeto.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.