Dilma diz que soluções para economia virão de diálogo

27/10/2014 21h15m. Atualizado em 28/10/2014 08h03m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A presidente reeleita Dilma Rousseff afirmou, em entrevista nesta segunda-feira (27), que as mudanças na economia serão resultado de um “dialógo”, mas não disse com quais interlocutores irá buscar as soluções para a falta de crescimento brasileiro.

Record/R7

Twitter

A declaração foi dada à rede Record. Minutos depois, no Jornal Nacional da Rede Globo, Dilma Rousseff explicou que vai conversar com setores do mercado financeiro, empresarial, agricultura, serviços e outros.

À Rede Globo, Dilma Rousseff revelou que mudanças na economia serão anunciadas até o fim do ano.

Sobre o abalo no mercado financeiro após o resultado das eleições brasileiras – a bolsa caiu, ações da Petrobras despencaram 12% e o dólar disparou -, Dilma voltou a falar nas crises internacionais para a rede Record e afirmou que bolsas americanas e européias também caíram.

Dilma Rousseff demonstrou irritação ao ser questionado sobre veracidade de nota divulgada hoje pela jornalista Monica Bergamo, segundo a qual o presidente executivo do Bradesco, Luiz Trabuco, estaria cotado para o Ministério da Fazenda. Dilma perguntou se a repórter da Record estava especulando sobre a composição ministerial do novo governo.

Ao ser perguntada sobre credibilidade do Brasil, Dilma Rousseff disse que o Brasil possui “R$ 77 bilhões além do necessário” em suas reservas.

A presidente reeleita garantiu que investigará as denúncias do Petrolão, escândalo de corrupção que atingiu a maior estatal do país. “Doa a quem doer. Não ficará pedra sobre pedra”, segundo ela.

Mas o que isso significa? O que fará por exemplo para dar mais transparência à Petrobras e garantia de que casos como o de Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef não vão se repetir.

Ela disse que não acredita em crise institucional quando se combate à corrupção, mas as revelações da dupla da Lava Jato tem octanagem para sacudir o mundo política.

Em alguns momentos da entrevista ao Jornal Nacional, ela parecia ainda presa ao discurso de campanha, como quando afirmou que fez “muitas” reformas tributárias.

A presidente Dilma Rousseff também afirmou à Record que a população de São Paulo não foi bem informada durante o processo eleitoral e este teria sido o motivo para a baixa votação que recebeu no Estado.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.