Débora Thomé 3 results

E no último dia do ano: um brinde porque ninguém é de ferro

Último dia de um ano intenso e cansativo. Para o país foi de uma eleição em que houve mais reviravoltas nas intenções de votos do que em qualquer outra e uma tragédia que alterou o quadro da disputa. Na economia, foi ano de crise que o governo negou até o fechamento das urnas. Foi o ano do escândalo tão enorme, o descoberto pela Opera...

Tortas e Chaves, por Débora Thomé

Na primeira vez em que fui ao México, parti com um único pedido de amigo para as férias: "me faz um favor: descobre por que o Chaves só gosta de torta de presunto? É um prato típico?" O personagem, cujo ator que lhe deu vida faleceu há uma semana, foi o meu primeiro contato com a cultura mexicana, junto com as Chispita, lá pelos idos dos ...

México – as dores de uma crise

"Ninguém tem direito a reconhecer um cadáver. Ninguém tem direito a transportar um morto. Não vai haver nesta cidade quinhentos cortejos fúnebres amanhã. Atirem os cadáveres na vala comum." (Carlos Fuentes, 1968). Por Débora Thomé Em 1968, jovens, provavelmente centenas deles, foram mortos no massacre que marcaria para sempre a ...