Clara Favilla 33 results

Lisboa – Largo das Portas do Sol, cenário perfeito; Por Clara Favilla

Sabe quando o trabalho dá uma folga? O suficiente para que se possa chegar alguma meia hora atrasados na parte da tarde, que o céu não despencará? Pois nesses dias, muitos lisboeta, que labutam nos escritórios da parte baixa da cidade, combinam de pegar o elétrico (bonde) para espairecerem em grupo no Largo Portas do Sol que por si só já ...

Lisboa, pelas ruas da Baixa; Por Clara Favilla

A Praça Dom Pedro IV, mais conhecida como Rossio, é uma das mais lindas de Lisboa, atrevo-me a dizer de Portugal e mesmo de toda a Europa. Estando lá, é difícil sair porque tudo nos encanta: o pavimento ondulado em pedras que aqui, no Brasil, chamamos de portuguesas; as belas fontes e o cenário acima de nossas cabeças. Do centro da praça, ...

Lisboa – A Praça do Comércio e a tragédia anunciada; Por Clara Favilla

Na primeira década de 1500, na esteira das grandes descobertas portuguesas, o Castelo de São Jorge, antiga fortaleza moura, revelou-se insuficiente para acolher toda a ideia de grandeza de um pequeno país com a árvore de um império além-mar em plena floração. Assim, um complexo administrativo, militar, residencial foi construído em um dos ...

Lisboa, cenários quase imutáveis e histórias de um passado que não passa; Por Clara Favilla

Não há pedaço da Europa que não tenha sido construído ou arado sobre sangue derramado por lutas fratricidas ou disputas externas. Conta-se que, durante a Revolução Francesa, na Praça da Concórdia, a que arremata a Avenida mais famosa de Paris, a Champs Elysées, o sangue azul dos decapitados em série empoçava, quando não corria feito ...

Bósnia – A velha ponte, arco-íris no céu de Mostar; Por Clara Favilla

Debruço-me sobre o mosaico de repúblicas que resultaram do esfacelamento da antiga Iugoslávia. Os novos limites impostos por questões étnicas e religiosas foram desenhados por rios de sangue. Rios que transbordaram quando dos massacres de civis na Guerra da Bósnia de abril de 1992 a dezembro de 1995. A nova geopolítica dos Bálcãs tem ...

Gregos e macedônios, bravatas alexandrinas; Por Clara Favilla

Passamos a vida acumulando memórias do que vivemos e do que poderíamos de ter vivido. E, muitas vezes, o não vivido é tão ou mais real que o acontecido. A memória do não realizado, se a intenção inicial foi vigorosa, dá complexidade as nossas viagens, quando delas relembramos como se montássemos um quebra-cabeça. Momentos críticos ...

Macedônia, onde a terra sempre treme; Por Clara Favilla

Logo quando acordamos, quase sempre nossa primeira tarefa é a de recolher cacos do que fomos ontem. Montamos, então, a partir deles, nossa nova fachada. Bastante parecida com a dos dias anteriores, cada vez mais fragilizadas pelas sucessivas colagens. Feito esse exercício vital, trabalhamos, amamos, odiamos, seguimos atentando contra os Dez ...

Belgrado, a cidade branca; Por Clara Favilla

Belgrado, capital da Sérvia, significa Cidade Branca, nome que lhe foi dado pelos celtas. Assim a vemos hoje. Assim a viram os mais antigos, vindos das planícies ou pelas águas do Danúbio e do Sava. Deuses da guerra permitiram que esses dois rios, que marcam tantas fronteiras, se encontrassem ali, fazendo da região uma das mais estratégicas ...

Croácia – Felicidade e estranhamento em Zagreb dourada pelo outono; Por Clara Favilla

Depois do calor que passamos na Espanha, França e Itália, um friozinho ameno e dias ensolarados nos esperavam na Eslovênia e depois na Croácia. De repente, éramos absurdamente felizes em meio a carvalhos dourados e castanheiras do encantador Parque Maksimir, o cinturão verde que envolve o centro da capital croata, Zagreb. Havia, em alguns ...

Iugoslávia – Viagem a um mundo que se desmoronava; Por Clara Favilla

Em outubro de 1985, o mosaico colorido, integrado pelos países vistos na ilustração acima, sustentava-se já a trancos e barrancos. A cola, representada pela utopia socialista independente de Moscou, encarnada por Tito e aliados, desfazia-se pra valer a partir da morte do marechal, em 1980. Era mesmo estranho que diversos povos de etnias, ...