Obama propõe retirar Cuba da lista do terror; Dilma escolhe novo ministro para STF, destaques dos jornais de quarta (15)

15/04/2015 07h30m. Atualizado em 16/04/2015 11h57m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Cuba fora da lista do terror, novo indicado para o Supremo, Petrobras em tempo de vendas de ativos não poupa nem o pré-sal. Estes são os maiores destaques dos jornais de quarta, 15 de abril.

O Globo abre o noticiário com a manchete: “Obama decide tirar Cuba de lista do terror”. O presidente Barack Obama retirou Cuba dos países que apoiam o terrorismo. A medida, no entanto, terá que passar pelo Congresso americano, onde há controle republicano nas duas casas. A lista tem outros três países: Irã, Sudão e Síria. A retirada do país da lista permitirá à Ilha obter financiamentos internacionais. O assunto está na primeira página de outros jornais, mas não na manchete.

O Estado de S. Paulo e a Folha de S. Paulo abrem o noticiário com a notícia de que o jurista Luiz Edson Fachin foi escolhido pela presidente Dilma para ser o novo ministro do Supremo Tribunal Federal no lugar de Joaquim Barbosa. “Dilma indica para o Supremo jurista ligado ao PT e à CUT”, diz o Estadão. Todos os jornais estão lembrando no seu noticiário que Fachin falou num ato de campanha de Dilma em 2010 pedindo votos para ela e assinou manifesto da CUT pela reforma agrária. A indicação foi negociada com o PMDB porque seu nome terá que ser aprovado no Senado. O vice-presidente Michel Temer assegurou que o nome do jurista será aprovado. “Dilma indica nome ao STF após demora de oito meses”, diz a Folha. A demora vinha sendo criticada pelo Supremo. Desde a aposentadoria de Joaquim Barbosa, a corte tem trabalhado com dez ministros.

O Valor Econômico informa que a “Petrobras vai colocar à venda ativos do pré-sal”. Ela quer arrecadar até US$ 14 bilhões num programa de desinvestimento este ano e em 2016. A empresa contratou o Bank of America para ser o coordenador desse processo de vendas. A lista de ativos que ela pode vender inclui a BR Distribuidora, empresas de energia na América Latina, as ações na Braskem e algumas concessões ou bloco de ações em campos do pré-sal, segundo o jornal. Segundo o Valor, a divulgação do balanço da Petrobras pode abrir o mercado internacional para empresas brasileiras que hoje não estão lançando papéis no exterior.

Outros destaques do noticiário: o governo negociou com o Congresso a redução de 18 para 12 meses o tempo mínimo para o pedido de seguro-desemprego. A votação da lei para regulamentar a terceirização foi adiada na Câmara, diante do risco de derrota do governo. A votação pode ser retomada nesta quarta, 15. Na terça foi aprovada a emenda que retira estatais da possibilidade de terceirizar a atividade fim. Jornais informam também que o PSDB elevou o tom das críticas à presidente Dilma. Fotos na primeira do Globo e Estadão mostram o conflito entre os ocupantes de um prédio no Flamengo, no Rio, e a polícia que foi cumprir mandato de reintegração de posse.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.