Protesto é menor mas demonstra a resistência do sentimento anti-Dilma

13/04/2015 07h49m. Atualizado em 16/04/2015 11h57m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A manifestação deste domingo, 12 de abril, em várias capitais foi grande o suficiente. As comparações com o protesto anterior mostra um número menor, e isso era esperado inclusive pelos organizadores. O que é realmente significativo é a força da demonstração de desagrado em relação ao governo da presidente Dilma. Atos que começaram no fim da manhã, como o da Avenida Paulista, estavam no fim da tarde ainda com muita gente.

Não é pelo número de participantes do outro protesto que se vê a importância do evento deste domingo (12). A população está exibindo seu sentimento contrário ao governo, ao PT, à corrupção e à presidente Dilma de diversas formas e de maneira insistente.

Apesar de nas conversas com os jornalistas os governistas estarem dizendo que as manifestações deste domingo fracassaram, eles estão preocupados — segundo apurou o blog. Por outros sinais, como as pesquisas de opinião, o Planalto vem sendo informado dessa rejeição da maioria dos brasileiros ao governo em todos os estratos sociais.

O PT que já foi o partido que mais conseguia por gente na rua em favor de suas bandeiras, hoje é o mais reprovado como mostra essa onda de manifestações. Um dos slogans gritados na Paulista foi: “A nossa bandeira jamais será vermelha”. Nenhum partido é o catalisador desse movimento, porque ele tem sido convocado pela internet por diversos grupos de militantes. Mas o grande perdedor é sem dúvida o PT e, especialmente, a presidente Dilma.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.