Obama e Raul na primeira reunião em meio século; Datafolha diz que 6 em cada 10 reprovam Dilma. Jornais de domingo (12)

12/04/2015 09h12m. Atualizado em 13/04/2015 07h50m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O Instituto Datafolha fez nova pesquisa de opinião. Os dados mostram que a reprovação à presidente permanece estagnada em 63%. O mesmo percentual acha que ela deveria sofrer um processo de impeachment por causa da Operação Lava-Jato. Mas a maioria desconhece o que aconteceria depois. Os protestos contra o governo têm apoio de 75% dos entrevistados. Esta é a manchete da Folha de S. Paulo neste domingo (12) e está nas primeiras páginas de outros jornais.

O Estado de S. Paulo registrou em manchete a reunião histórica entre Barack Obama e Raul Castro que durou duas horas. No plenário da reunião de cúpula Obama defendeu que o Congresso americano aprove o fim das sanções e disse que não estava disposto a “travar batalhas que começaram antes de eu nascer”. Rafael Correa, do Equador, criticou Obama e a imprensa americana. Obama respondeu que acredita num sistema em que o governo não possa dizer que imprensa é boa ou ruim. Correa tem histórico de perseguição a órgãos de comunicação.

O Globo dá na manchete um trabalho conjunto feito por jornais de cinco Estados, inclusive Zero Hora e Estadão: “Fundações são usadas para driblar licitações”. Conta que fundações ligadas às universidades federais têm sido usadas para driblar licitações e oferecer vantagens a professores que deveriam trabalhar em regime de dedicação exclusiva.

Os jornais também destacam na primeira página, em notas menores, os protestos marcados para hoje. Em geral a expectativa dos organizadores é que haja manifestação em mais Estados, mas com menos pessoas que no último ato. Segundo o Globo, “Aeroportos privatizados sofrem atraso em obras”. Isso pelas dificuldades financeiras da Infraero e por problemas com as empreiteiras envolvidas na Lava-Jato.

A Folha traz matéria econômica dizendo que a crise econômica está levando as empresas a modificar suas estruturas, com enxugamento de pessoal e ampliação da terceirização. O Estadão diz que a Lava Jato vai fazer devassa na comunicação da Petrobras.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.