A crise que governa Dilma

08/04/2015 09h55m. Atualizado em 10/04/2015 19h18m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Um governo rebocado pela crise política e econômica. A cada dia que passa esta realidade se impõe ao Governo da presidente Dilma Rousseff e suas decisões são consequência disto.

O PT e Dilma tiveram de aceitar a ida de Joaquim Levy para o ministério da Fazenda, um economista conservador e fiscalista, que está impondo um duro ajuste fiscal, um golpe para o discurso do PT.

O Governo não consegue impedir o avanço da tese da maioridade penal no Congresso, outro golpe nas bases sociais do PT que nesta terça (7) viram se aproximar mais uma derrota – o avanço da terceirização que deve ser votada hoje, mesmo virando um projeto monstrengo após as emendas que Levy conseguiu convencer o Congresso a adotar.

Dois dos principais ministérios da presidente Dilma saíram das mãos do PT e da própria Dilma.

O Ministério da Fazenda, o mais importante, tem Joaquim Levy que faz a sua própria coordenação política, tem vida própria e tenta consertar tudo que Dilma e o chefe da Casa Civil, Aloízio Mercadante, praticaram no passado para evitar a perda do grau de investimento no Brasil.

E agora… o vice-presidente Michel Temer assume a coordenação política que, mesmo com o PMDB bem dividido em relação ao fato, significa uma maior tutela do partido ao Governo.

Diante da crise, Dilma e o PT sem discurso ou ação não conseguem reagir. A crise governa a Dilma.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.