Discurso dissidente do PMDB volta a ganhar força

02/04/2015 11h45m. Atualizado em 06/04/2015 11h18m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O PMDB não vai dar descanso ao governo Dilma Rousseff. Líderes do partido estão avisando que não abandonaram, ainda, a idéia de votar o projeto que determina um prazo de 30 dias para a regulamentação do indexador da dívida dos Estados e Municípios. O PMDB avisa que apenas inverteu a pauta para dar tempo de se discutir ainda mais uma solução.

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, obteve uma vitória parcial, portanto. Bastante comemorada pelo mercado financeiro e agentes econômicos, esta vitória de Levy pode sofrer algum revés na próxima semana, na volta do feriado da Semana Santa.

Mais moderado agora, depois da ida do Ministro da Fazenda na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, o PMDB, segundo apurou o blog, deverá abandonar os arroubos, mas vai dar trabalho. Quer que o governo apresente caminhos mais ousados para sair da crise e, neste sentido, surgiu a proposta verbalizada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, de independência do Banco Central.

Caciques do partido acreditam que foi um erro do governo mexer com o indexador da dívida dos Estados, uma decisão acordada anteriormente e que já estava prefixada. Agora, uma derrota trará danos perigosos à credibilidade fiscal. O fato é que o PMDB está adotando o discurso de que Levy é somente um fiscalista, só pensa em ajuste fiscal.

A pesquisa CNI-Ibope desta quarta-feira (1) ajudou o PMDB a pressionar novamente o governo. Diante dos péssimos resultados da pesquisa sobre a imagem de Dilma Rousseff e, com a proximidade de um novo protesto nacional, o PMDB quer se proteger.

Voltou a ganhar força o discurso dissidente de que a aliança com o PT não deve continuar no futuro.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.