A falta de sensibilidade do governo Dilma

16/03/2015 21h57m. Atualizado em 18/03/2015 22h00m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A imagem acima é apenas ilustrativa, mas não deixa de ser importante. Enquanto o Brasil enfrenta uma de suas piores crises hídricas, o gramado do Palácio da Alvorada recebeu irrigação artificial após as chuvas deste fim de semana na capital da República.

Sim, a presidente Dilma Rousseff não é responsável por cuidar da casa oficial do mandatário brasileiro, apesar de morar lá desde 2011. Ela tem a responsabilidade de governar o país. O problema acontece quando a administração pública estuda pedir racionamento de água — alguns Estados já sentem a sua falta — e imagens assim se tornam repetitivas.

Para os leitores do blog, esta é mais uma demonstração de falta de sensibilidade deste governo com o atual momento do país — mesmo que seja em relação a algo menor. Durante o fim de semana, o governo demonstrou o mesmo “nonsense” ao tentar responder as avassaladoras imagens dos protestos deste domingo (15), quando milhares foram as ruas contra a corrupção.

Primeiro, numa coletiva enviesada, os ministros José Eduardo Cardozo e Miguel Rossetto colocaram mais lenha numa fogueira já incendiada. Disseram, entre outras coisas, que aqueles que foram às ruas votaram nos opositores de Dilma. Também defenderam que o número de pessoas na rua era o preço a ser pago pelo combate à corrupção. A frase é difícil de entender.

Diante da falta de sensibilidade dos ministros, uma segunda coletiva foi necessária para corrigir a primeira. As palavras “humildade” e “diálogo” foram faladas, mas não convenceram e as duas coletivas desastrosas não foram suficientes para o governo responder à altura ao clamor das ruas deste 15 de março.

A presidente entrou em campo nesta segunda (16), mas não admitiu os erros do seu governo que levaram a atual crise, além da falta de habilidade política. Apenas um “erro de dosagem” na política econômica.

Diante do cenário insensível, o governo terá de enfrentar alguns pontos nos próximos dias:

– Novas manifestações estão sendo convocadas para breve.

– A semana será tensa na Lava Jato – com novas denúncias e novas operações. Nesta segunda (16), começou a décima fase da operação, com novas prisões. O ministério público federal denunciou 27 pessoas por corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, entre elas, o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e o ex-diretor de Serviço da Petrobras Renato de Souza Duque.

– Base política do Governo deve se agitar ainda mais piorando a governabilidade da presidente Dilma.

A ver.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.