O Mercado financeiro está medindo diariamente o risco politico brasileiro

10/03/2015 16h46m. Atualizado em 12/03/2015 08h55m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Este risco politico é que vai determinar os próximos movimentos dos investidores.

Ele, o Mercado, acredita que o Brasil deve sofrer um downgrade em sua classificação de risco mas ainda manterá o grau de investimento.

As turbulências políticas, porém, podem mudar este quadro – que já é muito ruim – para pior.

Na lista do risco politico brasileiro estão:

– O dia 15 de marco e as suas repercussões e consequências.

– O pós-dia 15 e o nervosismo da base de apoio do Governo no Congresso Nacional.

– As idas e vindas e o morde e assopra de Renan Calheiros e Eduardo Cunha na relação com o PT e à própria Dilma.

– Como tudo isto afetará o cada vez mais lento ajuste fiscal de Joaquim Levy.

– E evidentemente os fatos novos que surgirão das investigações relacionadas a Lava Jato.

Esta “medição” do risco politico brasileiro mostra no momento uma queda de temperatura. O Mercado olha com esperança a reabertura de diálogo entre Renan/Cunha com o Governo em torno da votação do veto da Dilma na questão da tabela do imposto de renda.

Se o downgrade for feito pela Standard&Poor’s aí o Brasil perderá o grau de investimento. Para manter o grau de investimento, o rebaixamento teria que ser feito pela Moody’s na qual o Brasil ainda pode cair um degrau e manter o grau de investimento.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.