Governo faz novo arrocho nos gastos do Orçamento. Destaque dos jornais de sexta (27)

27/02/2015 07h53m. Atualizado em 28/02/2015 09h03m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Governo corta mais fundo nos gastos e prepara medidas para suspender benefícios concedidos às empresas. Este assunto é a manchete dos principais jornais do país nesta sexta-feira, (27). “Ajuste pode cortar 22% do orçamento até fim do ano”, diz o Globo. O governo divulgou nesta quinta (26) um decreto limitando a R$ 75 bilhões o total de gastos com investimentos e custeio até abril. Isso significa um corte de 22% do que está no orçamento, e menos do que foi gasto no ano passado. A medida foi anunciada no meio da queda de braço com o PT sobre as medidas provisórias enviadas ao Congresso e que fazem parte do ajuste fiscal. “Dilma faz novo arrocho para equilibrar as contas”, diz a Folha de S.Paulo.

O ministro Nelson Barbosa foi ao Congresso defender as medidas e disse que o governo estuda taxar “o andar de cima”. A especulação é que seja o imposto sobre grandes fortunas. “Governo limita gastos a R$ 75 bi até abril e inclui PAC nos cortes”, diz o Estado de S.Paulo sobre a mesma notícia a respeito do decreto de contingenciamento de despesas que estão previstas no orçamento. No mesmo período do ano passado a previsão de despesas com dispêndio da máquina pública era 21% maior.

Os jornais também contam que o governo deve anunciar nesta sexta suspensão do benefício fiscal que atingiu o maior número de setores: a desoneração da folha salarial. O Valor informa que a medida será anunciada para reforçar o caixa. O jornal econômico registra na manchete que o “Governo faz ajuste com corte de investimentos”.

Os jornais destacam também que o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, foi alertado pelo ministro da Justiça José Eduardo Cardozo de ameaças à segurança dele e da família às vésperas de enviar ao STF a lista dos políticos investigados na Operação Lava Jato. Janot se reuniu com pessoas do governo, inclusive o vice-presidente antes do anúncio de políticos envolvidos. Há temor de atraso no ritmo das Olimpíadas pelo envolvimento na Lava Jato de empresas responsáveis por algumas obras.

O Valor informa que Bradesco, BB e Caixa ofereceram crédito à Petrobras, mas a estatal diz que tem dinheiro. O desemprego em janeiro teve alta de 1% e a população empregada é a menor em cinco anos. O governo anunciou ainda que vai multar caminhão parado, numa tentativa de endurecer com os caminhoneiros que entraram em greve esta semana. O ministro decano do Supremo, Celso de Mello, acusou a presidente Dilma de “omissão” por deixar vaga por sete meses uma cadeira de ministro do STF. O Estado Islâmico divulgou vídeo que destrói estátuas do século 70 a.C. A Justiça livrou Cristina Kirchner de investigação no caso em que ela seria denunciada pelo promotor que apareceu morto.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.