Classe C compra menos, investigados da Lava Jato pedem ajuda a Lula e Maduro prende opositor. Jornais desta quinta (20)

20/02/2015 06h51m. Atualizado em 24/02/2015 22h23m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

“Inflação alta já reduz consumo da classe C” informa em manchete o Globo nesta sexta-feira (20). O jornal se baseou em duas pesquisas. Uma do DataPopular, mostrando que quase metade da classe C reduziu as compras nos últimos seis meses, e outra, da Nielsen, na qual a classe média baixa gasta em média 15% mais que sua renda mensal.

“Empreiteiras da Lava Jato pedem ajuda a Lula” informa reportagem exclusiva do Estado de S.Paulo. O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, disse que recebeu várias pessoas, e o próprio ex-presidente tem recebido desde o fim do ano passado emissários das empreiteiras pedindo “intervenção política de Lula para evitar colapso econômico das empreiteiras”. Um dos presos, presidente da OAS, Leo Pinheiro, encontrou-se com Lula após a divulgação do conteúdo da delação premiada.

A manchete da Folha de S.Paulo está nos outros jornais apenas como destaque na primeira. “Maduro prende prefeito oposicionista de Caracas”. Antonio Ledezma é o principal oposicionista do governo. Seu escritório foi invadido e danificado por policiais encapuzados e uniformizados após ele ser acusado de conspiração. O país vive grave crise econômica e social. Maduro foi à TV justificar a prisão dizendo que ele participou da tentativa de golpe de 2002 contra o falecido presidente Hugo Chavez.

Em manchete, o Valor econômico informa que, apesar do baixo crescimento da economia brasileira, empresas do setor industrial e de infraestrutura estão prevendo expansão dos investimentos de 2015-2018. Cita como fonte uma pesquisa do BNDES. O banco fez a análise entre outubro e novembro do ano passado e diz que os dois setores vão investir R$ 1,38 bilhão.

O polêmico patrocínio da ditadura da Guiné Equatorial permanece em destaque nos jornais. O Globo diz que a MP vai investigar doação à Beija Flor. A notícia repercutiu em jornais e TVs do mundo inteiro. O jornal econômico The Wall Street disse que a ajuda de um ditador africano é incomum “mesmo para os padrões permissivos do Rio”. No Estado de S.Paulo, o puxador de samba Neguinho da Beija Flor disse que “se não fosse o dinheiro da contravenção, hoje não teríamos o maior espetáculo audiovisual da terra”.

O ministro José Eduardo Cardozo procurou os jornais para explicar o encontro com advogados dos investigados na Operação Lava Jato. Ele confirma um encontro com a Odebrecht, mas disse que houve ata da reunião. Eles recorreram para questionar a legalidade das provas.

O Governo está liberando só agora pagamentos que deveria ter feito em 2014. Ontem liberou R$ 119 milhões do Pronatec após denúncia da Folha de que as escolas estavam sem pagamento desde setembro. O Estadão diz que R$ 17,9 bilhões foram atrasados para 2015 nas áreas de Saúde, Trabalho, Educação e Assistência Social.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.