Barusco usou o mesmo esquema de Dirceu no Panamá. Receita investiga envolvidos no Lava Jato. Choveu no Cantareira. Destaques desta terça (17)

17/02/2015 07h21m. Atualizado em 18/02/2015 07h04m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Envolvido no escândalo da Lava Jato, o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco usou o mesmo procedimento e escritório — a Morgan y Morgan — utilizado anteriormente por José Dirceu para abrir duas offshore no Panamá, que movimentaram US$ 21,4 bilhões em propinas recebidas dos fornecedores da estatal. É o que conta o Estado de S. Paulo nesta terça (17), em reportagem de Andreza Matais. “Delator repetiu esquema de Dirceu para abrir offshores”.

O Globo, que dedicou dois terços da primeira página ao carnaval do Rio, dando destaque à Portela, informa em título maior que a “Receita investiga empresas da Lava-Jato por sonegação”. Os doleiros e ex-diretores da Petrobras estão também na mira do leão por valores não declarados ao Fisco. Segundo o jornal, a fiscalização poderá atingir partidos políticos beneficiados por verbas desviadas da estatal. Empresas e pessoas investigadas poderão receber multas pesadas.

Em manchete, a Folha informa que “A chuva de fevereiro supera média do mês no Cantareira”. Mas a situação crítica de escassez está longe de ser superada, alerta o jornal. Para se ter uma ideia, em 16 de fevereiro do ano passado, sem ter usado os dois volumes mortos, havia 18,5% de água no sistema Cantareira.

Outros destaques dos jornais: o Egito atacou o Estado Islâmico em revide às decapitações de 21 cristãos. Esconderijos e campos de treinamento do grupo extremista foram bombardeados. O filho do ditador da Guiné Equatorial comemorou na avenida a passagem da escola patrocinada pela ditadura comandada por seu pai há 35 anos, a Beija Flor de Nilópolis.

Para reduzir o risco de apagão no Sudeste, o ONS tem enviado para a região a maior parte da “energia”, deixando outras partes do país sem reservas. Incêndio destruiu um shopping no Rio, o Nova América.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

1 Comentário para "Barusco usou o mesmo esquema de Dirceu no Panamá. Receita investiga envolvidos no Lava Jato. Choveu no Cantareira. Destaques desta terça (17)"

  • Nilson B. Nunes 17-02-2015 (2:42 pm)

    Penso que o sr. se apequena ao imiscuir entre o varejo mediático personalidade da qual conheces a importância, deixando assim, ilar especulações em si inconclusas sobre uma das personalidades mais importantes do país.

Comente

O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.