Luiz Henrique chegou a abrir oito votos de vantagem sobre Renan

02/02/2015 13h52m. Atualizado em 03/02/2015 06h48m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O presidente do Senado, Renan Calheiros, foi reeleito com 49 votos de um total de 81 para mais dois anos à frente do mais alto cargo do Legislativo. A vitória já era dada como certa.
No entanto, um detalhe fugiu ao script. No começo da apuração, o colega de partido Luiz Henrique (PMDB-SC), que se lançou na disputa sem o apoio do partido, abriu oito votos e o plenário fez um silêncio constrangedor. Luiz Henrique só perdeu a dianteira depois de Renan empatar em 16 a 16. O placar final ficou em 49 a 31 e um voto nulo.
Renan presidirá a Casa entre 2015 e 2016 e, com a vitória de Eduardo Cunha na Câmara dos Deputados, seu comportamento no Senado será fundamental para as pautas de interesse do governo Dilma Rousseff.
Cunha é um desafeto da presidente e atuará no sentido de dar mais independência à Camara dos Deputados, como prometeu em seu primeiro discurso.
O comando do parlamento é fundamental para definir os projetos que irão a votação — o que interessa e não interessa o governo federal.
Essa é quarta vez que Renan assume a presidência da Casa. Nos últimos dois anos, enquanto também esteve à frente do Senado, o político alagoano apoiou as prioridades da presidente Dilma.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.