Petrobras registra 88 bi de rombo no valor dos ativos, mas não dá o tamanho da corrupção. Ações desabam. Manchetes dos jornais desta quinta (29)

29/01/2015 06h40m. Atualizado em 30/01/2015 07h50m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O balanço da Petrobras foi manchete de todos os jornais desta quinta (29). O documento saiu na madrugada de quarta-feira informando que depois de avaliar 51 ativos encontrou em 31 deles a diferença entre valor real e o registrado em balanço de R$ 88 bilhões. O mercado esperava que o balanço dissesse quanto foi exatamente o custo da corrupção e o balanço não faz isso. Registra ainda um lucro de R$ 3,1 bilhões.

As ações despencaram mais de 10%. “Petrobras põe R$ 88 bi sob suspeita, e ações caem 11%” diz o Globo, informando que neste valor estão roubo, ineficiência, e mudanças na situação do câmbio e do preço do petróleo. Diz que essa quantia dá para fazer mais de duas olimpíadas e 63 reformas do Maracanã. “R$ 88 bi, cifra que abala a Petrobras” é o principal título do Valor Econômico, informando que os brasileiros devem ter em mente essa cifra para avaliar o tamanho do problema provocado pela gestão da Petrobras nos últimos anos. “Ação da Petrobras desaba após balanço omitir corrupção” — diz o Estado de S.Paulo. A queda foi exatamente por não fazer a baixa do valor dos ativos. “Petrobras exclui corrupção de balanço e ações desabam”, diz a Folha de S.Paulo.

Outros destaques são a queda da arrecadação no ano passado. A crise da água é tratada também pelos jornais na primeira página. São Paulo está prevendo começar em abril o rodízio de água. Paulistas já estocam garrafas. Se o rodízio tivesse começado no ano passado em São Paulo na forma proposta pela Sabesp, de 48 horas com água e um sem água, teria economizado 12,3% do Cantareira. Minas já cogita racionamento também. O governo do Rio diz que torce para chover.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.