Brasil importa energia da Argentina, BC sobe os juros e Levy fala em recessão; Destaques dos jornais nesta quinta (22)

22/01/2015 07h13m. Atualizado em 22/01/2015 12h29m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A manchete do jornal O Globo nesta quinta-feira (22) é sobre a falta de energia: “Ministro diz que não falta, mas o Brasil importa energia”. O país está comprando energia da Argentina, desde o apagão, e vai adquirir também 300 megawatts da parte paraguaia de Itaipu. Segundo o jornal, das 18 principais hidrelétricas, 17 estão com o nível de seus reservatórios abaixo do que estavam em 2001, quando o Brasil precisou fazer racionamento. O assunto está em todos os jornais. Em São Paulo, o novo presidente da Sabesp Jerson Kelman falou também em racionamento no abastecimento de água, se não chover no volume certo e nos lugares certos no próximo mês. Os jornais informam também que pode ser usada água da represa Billings para abastecer a cidade e que o governo paulista vai restringir irrigação. No Estado de S.Paulo, o principal destaque foi a crise econômica: “Levy diz que ajuste fiscal é prioridade; BC eleva juros”. A manchete trata das declarações de Levy no Forum Econômico de Davos no qual ele disse que a equipe não fará “remendos” e fez críticas indiretas ao antecessor. O BC subiu a Selic para 12,25% porque o país pode ter em janeiro a maior inflação em uma década. Na Folha de S.Paulo, a crise econômica também é manchete: “BC sobe juros para 12,25%, terceira alta desde a eleição” e lembrou que durante a campanha a presidente Dilma criticou choque de juros e corte de gastos como diretrizes econômicas. É o maior patamar de juros desde julho de 2011. Levy disse em Davos que “a economia do Brasil pode ter algum resultado negativo” antes de voltar a crescer. O Valor informou que dados preliminares indicam que houve, sim, déficit primário em 2014 e de R$ 20 bilhões. Ou seja, mesmo sem contar o pagamento de juros da dívida, o governo ficou no vermelho no último ano do primeiro mandato da presidente Dilma. A manchete do Valor é o programa que a Europa vai anunciar hoje para estimular a economia do bloco. O BC europeu vai comprar títulos dos governos da união monetária. Isso vai elevar o dinheiro em circulação e pode afetar países emergentes, já que esse dinheiro vai comprar ativos de outros países. No Brasil, a alta taxa de juros pode atrair capital, diz o jornal. Se isso acontecer, o real sobe. No caso Lava Jato, o jornais informam que, no acordo que fez, o doleiro Alberto Yousseff terá que entregar 85 imóveis e ficará cinco anos preso em regime fechado. Na Argentina, aumentam as dúvidas sobre a morte do procurador Nizman ocorrida um dia antes da denúncia que faria contra a presidente Cristina Kirchner. O chaveiro ouvido disse que a porta de trás do apartamento era fácil de entrar. Isso se soma ao indício de não haver pólvora na mão do procurador, o que enfraquece a tese do governo de que ele cometeu suicídio. Na Venezuela, o governo tenta conter uma crise econômica. Já na Bolívia Evo Morales prepara sua terceira posse reunindo-se com os xamãs.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.