Gabrielli diz que o governo tem “estratégia suicida” no caso Petrobras

21/01/2015 09h56m. Atualizado em 23/01/2015 17h50m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O ex-presidente da Petrobras na época da compra da Refinaria de Pasadena José Sérgio Gabrielli disse, em entrevista ao Estado de S.Paulo, que é uma estratégia suicida do governo culpar apenas sua gestão pela decisão. Ele voltou a dizer que o Conselho de Administração, na época presidido pela então ministra Dilma Rousseff, é responsável pela compra da refinaria porque “somente o conselho tem competência de decidir compra de empresas”. Ele acha até que a compra foi correta, mas insiste que quem decidiu foi o conselho. Curioso ele se isentar porque em qualquer empresa do mundo o CEO (presidente executivo) toma as
principais decisões. Gabrielli disse que o parecer do TCU sobre a compra da refinaria é “politicamente motivado” e acrescentou: “Não é do TCU, mas do ministro José Jorge”. Segundo Gabrielli, o que aconteceu na Operação Lava Jato foi pouco: “Por enquanto só tem a confissão de um diretor, o Paulo Roberto, e de um gerente, o Pedro Barusco. Acho que ele é um dos poucos brasileiros que diria “só” ao que foi revelado pela operação Lava Jato, da Polícia Federal. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, montou, inclusive, uma força tarefa no Ministério Público para analisar todas as denúncias do caso.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.