Crise de energia e risco de novos problemas; Destaques nos jornais de quarta (21)

21/01/2015 06h08m. Atualizado em 22/01/2015 07h55m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Os jornais explicam a falta de energia no país e os riscos de novos problemas de abastecimento, enquanto o governo tenta justificar o que houve com declarações conflitantes. “Atraso em obras contra apagões chega a 4 anos”, diz a manchete do Globo que lista os sete erros da gestão do setor elétrico. Ela vão de atrasos às obras de geração e de transmissão ao uso de termelétricas poluentes e falta de integração de parques eólicos. “Governo nega risco de apagão, mas faz plano de emergência”, diz o Estado de S.Paulo na manchete, informando também que obras para reforçar o sistema estão atrasadas. “Ministro diz que Deus é brasileiro e não faltará energia” é a manchete da Folha.
O Valor Econômico publica em destaque: “Aumentam os riscos de racionamento”. A reportagem é baseada no fato de que o volume de chuvas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste está abaixo do necessário previsto no ano passado pelo Operador Nacional do Sistema para garantir energia em 2015. O governo anunciou que tem um plano de reforço do sistema com mais 1,5 mil megawatts usando, entre outras, térmicas da Petrobras que estavam em manutenção. O ministro admitiu que o setor precisa de “ajustes”, mas negou racionamento. O secretário de Energia Elétrica, Ildo Grudtner, disse que a falha da segunda-feira (19) foi “coincidência” e o diretor do ONS, Hermes Chipp, disse que não houve apagão, mas “corte preventivo”. Enfim, o governo bate cabeça para explicar o que apagou a luz em onze Estados e os jornais mostram vários erros que se acumularam no setor. O Valor traz em manchete que a “Petrobras terá liberdade vigiada para subir preços”, informando que os preços da gasolina não serão tão controlados quanto no primeiro mandato.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.