Apagão e aumento de impostos ocupam as primeiras páginas dos jornais de terça (20)

20/01/2015 06h07m. Atualizado em 21/01/2015 08h26m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O apagão que atingiu onze Estados e o Distrito Federal, além do aumento de impostos anunciados nesta segunda-feira (19) pelo ministro Joaquim Levy, foram os destaques do noticiário de terça (20). “Falhas no sistema e consumo podem causar novos apagões”, diz o Globo na manchete e em um título no alto. Em corpo menor, traz a outra notícia: “Governo eleva impostos e gasolina vai subir”. O Estado de S.Paulo trouxe na manchete: “Governo aumenta gasolina e crédito”. Todavia, em destaque com foto: “Falhas e calor provocam apagão em três regiões”. Em uma entrevista que começa na primeira página, o mais conhecido especialista brasileiro no tema, Mário Veiga, diz: “Pode haver racionamento”. A Folha de S.Paulo explica na manchete que um “Apagão atinge 10 Estados e o DF”. Todos os jornais informam que foram “falhas” — o forte calor e o consumo alto que provocaram o problema. Mas vários analistas mostram que o problema é mais profundo e decorre de erros do governo. Em título menor, a Folha diz: “Governo eleva impostos para arrecadar R$ 20,6 bi”. Além de derrubar a energia em grande parte do país, o evento de segunda fez cair fortemente a cotação das ações das empresas elétricas na Bovespa. O Valor informa, em manchete, que “Ajuste de Levy já atinge R$ 43 bi”. Esse valor é alto, mas é equivalente a 0,7% do PIB. Ele prometeu 1,2% do PIB de superávit. Ou seja, ainda ele ainda está na metade do que ele precisa. São também destaque do noticiário a misteriosa morte do promotor que denunciou a presidente Cristina Kirchner. Ela teria participação no acobertamento de um atentado há vinte anos a uma estabelecimento judaico. A autópsia alega que ele se matou. O Estado de S.Paulo informa ainda que o ex-presidente da Petrobras “Gabrielli sugere que Dilma deve ser cobrada por Pasadena”. Em defesa apresentada ao TCU, José Sérgio Gabrielli pede para ser excluído do processo que determina o bloqueio dos bens dos executivos que dirigiam a empresa na época da compra da Refinaria de Pasadena. Ele quer a responsabilização do Conselho de Administração, à época presidido por Dilma Rousseff, pelas perdas.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.