Fuzilamento do brasileiro na Indonésia e prejuízos da corrupção; Destaques nos jornais de domingo (18)

18/01/2015 04h58m. Atualizado em 20/01/2015 12h29m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O Globo puxou o noticiário pelo fuzilamento de Marco Archer na Indonésia. Informa que o governo brasileiro reagiu duramente, chamando de volta embaixador e soltando nota de repúdio. Marco Archer foi condenado à pena de morte depois de permanecer onze anos preso por ter entrado na Indonésia com 14 quilos de cocaína. Tanto o ex-presidente Lula quanto a presidente Dilma fizeram apelos para que ele não fosse fuzilado. O governo daquele país ignorou os apelos. Todos os jornais deram a notícia em primeira página, mas não como manchete. O Estado de S. Paulo traz em destaque que as empresas da Lava Jato já demitiram 12 mil trabalhadores. A deterioração financeira de fornecedores da Petrobras está provocando também atrasos nas indenizações dos demitidos. Para as próximas semanas estão previstas mais demissões. Elas estão sem crédito no mercado e sem poder fazer contratos com a estatal.
A Folha de S.Paulo destaca que a “Petrobras terá perda de US$ 3,2 bi com refinaria”. É a sempre falada Abreu e Lima. O cálculo da perda é o seguinte: mesmo se ela gerar todo o lucro previsto, o empreendimento dará prejuízo, porque o custo terá sido maior do que a possibilidade de geração de lucro.
A perda bilionária é de estudos técnicos da companhia e mesmo assim a decisão foi a de continuar a obra. Inicialmente o custo previsto era de US$ 2,4 bilhões, está terminando em US$ 18,5 bilhões, o que dá R$ 48,5 bilhões.
O Estadão traz ainda na primeira a sua própria história. O jornal fez 140 anos e preparou um especial de 72 páginas, multimídia, sobre a evolução do jornal em suas 14 décadas. Se define assim: “Republicano na monarquia, abolicionista da escravidão e rebelde nas ditaduras”. O jornal chegou a ser ocupado por anos na ditadura de Getúlio e foi censurado na ditadura militar.
Faz uma reportagem também sobre como o jihadismo é financiado e, no caderno Aliás, discute os rumos do PT, a partir das declarações da ex-ministra Marta Suplicy na semana passada de que “muda ou morre”. A Folha faz uma reportagem sobre os motivos de chover menos na Cantareira, e cair tempestades sobre a capital, no caderno de Ciência. O Globo traz também uma reportagem sobre “Como nasce um jihadista”, os jovens que se transformam em radicais. Uma notícia também foi destaque: o site da UFRJ foi invadido por supostos hackers muçulmanos.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

1 Comentário para "Fuzilamento do brasileiro na Indonésia e prejuízos da corrupção; Destaques nos jornais de domingo (18)"

  • paula rodrigues 19-01-2015 (7:58 pm)

    Olha este fuzilamento do brasileiro e um absurdo o homem ja pagou 11 anos e ainda e morto eles pensam que podem decidir por Deus e ainda acha que nossa presidente Dilma esta errada em defender os brasileiros e se fosse filhos de voces quem somos nos para julgar o proximo quem julga e Deus adimiro e sou fanzona da nossa presidente e isto ai Dilma continua com este trabalho lindo em defender seu Brasil mesmo o resultado nao sendo positivo mas para Deus sempre sera

Comente

O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.