Propina na Petrobras não parou, diz MP. São Paulo pode ter rodízio de água. Nos jornais nesta quinta (15)

15/01/2015 07h06m. Atualizado em 20/01/2015 12h36m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A corrupção continua na Petrobras. Este é o assunto das manchetes de alguns jornais nesta quinta-feira, 15. “MP diz haver indício de que corrupção não foi estancada”, diz o Globo baseado em informações dos procuradores da Operação Lava Jato que dizem haver indícios de que diretores continuam a receber propina. A maior foto da primeira é a do ex-diretor Nestor Cerveró que foi preso ao desembarcar na madrugada de quarta de uma viagem internacional. Seu advogado reagiu perguntando: “Por que não prender a Graça Foster?”. O Estado de S.Paulo também destacou em manchete: “Corrupção na Petrobrás ‘não foi estancada’”, diz MPF. A falta de água em São Paulo é outro destaque dos jornais. “Sabesp admite que pode adotar rodízio de água”, é a manchete da Folha de S.Paulo. O novo presidente da empresa Jerson Kelman disse que torce para que não seja necessário, “mas pode ter” o rodízio de água e já está havendo uma redução da pressão da água enviada para as casas paulistanas. O mesmo tema tem título no alto da primeira no Globo “SP cogita rodízio de água” e destaque também no Estadão: “Alckmin admite racionamento de água” em que diz que o governador admitiu que o estado enfrenta um racionamento há meses. Ele usou este argumento para responder à Justiça que vetou a cobrança de uma tarifa extra de quem tem consumo excessivo de água. O ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, pediu à população para economizar energia. “Nós temos energia, mas é cara” disse o novo ministro. Durante a campanha tanto o governo de São Paulo quanto o governo federal negaram problemas na água e na energia.
O Valor Econômico afirma em manchete que “Preços dos ativos já reflete confiança no governo”. O jornal mostra que os juros futuros já caíram em vários produtos financeiros mostrando com isso o aumento da confiança dos investidores na nova equipe econômica. Em outro título ao lado da manchete, o Valor informa que “CEF financiou Tesouro, conclui TCU”. O tribunal analisou as operações em que a Caixa pagou pelo governo benefícios sociais como o Bolsa Família e chegou à conclusão que o banco público financiou o governo. Isso é proibido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. O relatório de 80 páginas que o jornal obteve o TCU recomenda que as contas fiscais do ano passado sejam recalculadas. Em Paris a nova edição de Charlie Hebdo se esgotou em poucos minutos. Houve corrida às bancas. Os jornaleiros venderam um exemplar por pessoa. A tiragem foi recorde na história da mídia francesa: 5 milhões de exemplares.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.