Resposta e caça ao terrorismo na França. Nos jornais de sexta (9)

09/01/2015 08h28m. Atualizado em 09/01/2015 09h09m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A luta contra o terrorismo na França está nas manchetes dos jornais desta sexta (9). “França caça terroristas, que seriam ligados à al-Qaeda”, diz O Globo. “França tem onda de violência: Al-Qaeda treinou suspeito”, diz O Estado de S.Paulo. “Autoridades dizem que Al-Qaeda treinou terrorista”, publica a Folha de S.Paulo. O noticiário traz ainda reações no mundo inteiro e o luto na França e entre jornalistas pelo atentado contra o semanário de humor Charlie Hebdo com a morte de 12 pessoas.
A torre Eiffel foi apagada, os sinos de Notre Dame tocaram enquanto multidões continuaram indo para as ruas com os cartazes de Je Suis Charlie (Eu sou Charlie). A França mobilizou 88 mil policiais na procura dos assassinos e concentrou as buscas no Norte. As autoridades americanas e europeias investigam as pistas que levam o grupo terrorista aos dois principais suspeitos: Said Kouachi, 34 anos, e seu irmão Chérif, 32. São franceses de origem argelina.
Autoridades da Europa e dos Estados Unidos convocaram reuniões de emergência para discutir o combate ao terrorismo. Articulistas e chargistas continuam avaliando os vários aspectos desse crime que continua abalando o mundo. A revista voltará a ser publicada na semana que vem. Ela perdeu seus principais profissionais.
O jornal Valor Econômico informa que foram “Detectados 20 planos de ataques ligados à Síria”. A informação é da inteligência britânica. A manchete do Valor foi dedicada à informação sobre que aumento de imposto pode ser elevado pela nova equipe. “Nova equipe vai tributar letras de crédito com IR”. As letras imobiliárias e do agronegócio LCI e LCA hoje não pagam Imposto de renda.
Os jornais também destacam os cortes no orçamento anunciados ontem por decreto presidencial nas despesas não obrigatórias. São de 1,9 bilhão por mês, mas valerão para o ano inteiro. O Ministério da Educação é o mais atingido. A indústria tem o pior ano desde 2009, informa o IBGE.
Na operação Lava-Jato o senador eleito do PSDB Antonio Anastasia, braço direito do ex-candidato à presidência Aécio Neves, foi citado por um policial ligado ao doleiro Alberto Youssef de ter recebido dinheiro. Anastasia negou e pediu uma acareação com o policial.
O Globo noticia que, mesmo com as chuvas recentes, “O nível de reservas do Paraíba do Sul cai a 2,5%”. Os reservatórios estavam com 3% há um mês. O Valor conta que a construtora Camargo Corrêa pediu arbitragem para seu conflito contra o consórcio Energia Sustentável que controla a usina de Jirau. Camargo Corrêa liderou o consórcio que venceu a disputa, mas depois saiu dele mas foi responsável pelas obras civis em obra que já deu muita polêmica.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.