Suspeito de atacar Charlie Hebdo era considerado rapper promissor

08/01/2015 19h09m. Atualizado em 08/01/2015 19h13m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Um dos suspeitos do atentado terrorista contra a revista Charlie Hebdo, nesta quarta (7), foi considerado um rapper promissor, de acordo com um documentário de 2005 sobre jihadistas.
Cherif Koauchi, o mais velho dos irmãos suspeitos do ataque que vitimou 12 pessoas, e deixou outras 11 feridas, aparece no documentário com calças largas e um boné de beisebol, vestimenta típica de rappers que cantam esperança. Veja reportagem e o vídeo no site de notícias Mashable.
Chefir, agora com 34 anos, é um francês que tem pais argelinos. As imagens exibidas pelo filme foram provavelmente documentadas antes do radicalismo islâmico. Elas foram filmadas no mesmo ano em que o minidoc foi lançado, em 2005. Três anos depois — em 2008 — Chefir foi preso por se juntar à insurgência iraquiana e acabou condenado a três anos de prisão. Ele cumpriu apenas metade da pena.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

1 Comentário para "Suspeito de atacar Charlie Hebdo era considerado rapper promissor"

  • Carlos 10-01-2015 (11:24 am)

    Condenamos o Nazismo porque eles desconsideraram raças. Podemos muito bem condenar da mesma maneira os muçulmanos, igual fizemos com o Nazismo, pois eles desconsideram mulheres. Mulheres para eles é somente um meio de reprodução e nada mais. Elas são violentadas, apedrejadas, enforcadas etc. Isto é inadmissível. Sugiro tratar esse assunto com o mesmo grau que é tratado o Nazismo.

Comente

O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.