Joaquim Levy traz trégua ao mercado: o homem que fala Paloccês ou… Malanês

06/01/2015 18h55m. Atualizado em 08/01/2015 10h04m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Um dia de trégua. Esta terça-feira (6) pode ser resumida assim se olharmos para a economia brasileira. Depois de dias seguidos de quedas fortes da Bovespa e de alta do dólar, puxados principalmente pela crise da Petrobras e de más notícias em países como a China, a moeda americana mudou a tendência e desvalorizou-se diante ao nosso Real. O pregão da Bolsa de Valores fechou com alta de 1,02% ou 48.000 pontos.

O arrefecer do nervosismo do mercado tem nome e sobrenome: Joaquim Levy. O novo ministro da Fazenda, que assumiu o comando da pasta nesta segunda-feira (5), passou tranqüilidade ao anunciar que o país buscará o reequilíbrio fiscal.

Levy fez um discurso austero, avisando que pode aumentar impostos, e fazendo críticas indiretas à gestão anterior da Fazenda, como em relação a política de redução de impostos apenas para alguns setores escolhidos.

Levy lembrou o ex-ministro Antonio Palocci, em novembro de 2002, antes de perder sua carreira política envolvidos em escândalos. Com o mercado despencando após a vitória de Lula nas eleições, a medida que Palocci abria a boca no escritório de transição montado no governo Fernando Henrique Cardozo, o mercado se acalmava. O discurso de manutenção do tripé da economia, incluindo a busca pelo superávit primário, era como uma pílula de rivotril para a Bolsa de Valores.

À época, brinquei em reportagem no Correio Braziliense dizendo que Palocci era o homem que falava malanês, em uma referencia ao então ministro Pedro Malan. Hoje presenciamos o mesmo antídoto, mas Levy é bilingue, porque fala Paloccês e Malanês, que é o idioma original. Claro que mercado quando está volátil acalma-se um dia para no dia seguinte mudar de ideia. Hoje, pelo menos, uma dose de Levy funcionou.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

1 Comentário para "Joaquim Levy traz trégua ao mercado: o homem que fala Paloccês ou... Malanês"

Comente

O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.