Strøget e arredores, o coração da cidade de Copenhague; Por Clara Favilla

06/01/2015 14h10m. Atualizado em 09/01/2015 09h41m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Uma vasta área para pedestres, plana e repleta de atrativos, é um convite para o clássico bater pernas sem hora para terminar ou prudência sobre as possíveis dores do dia seguinte. A principal via desse pedaço vital de Copenhague, que pulsa no ritmo de quase 250 mil passantes diários, é a sinuosa Strøget, com quase um quilômetro de extensão, a maior rua para pedestres do mundo, fechada ao trânsito, inclusive de bicicletas, desde 1964. Na verdade, a mais famosa rua da cidade é formada por várias: Frederiksberggade, Nygade, Vimmelskaftet, Amagertorv e Østergade.

O passeio pode começar pela Kongens Nytorv, Praça Real, logo depois do tour de barco pelos canais da cidade. A área compreende também pequenas ruas transversais e concentra bares, restaurantes, pontos de conhecidas redes de fast food, todo tipo de lojas, inclusive as de grifes famosas e shoppings. Pode-se caminhar pela Strøget a partir de outro ponto- chave da cidade, a Rädhuspladsen, Praça da Prefeitura, que é também de referência para se chegar ao Tivoli Gardens, à estação central de trens, ao Museu Glypotek e à Vesterbrogade (rua comercial) além de cinemas.

Se o ponto de partida foi a Kongens Nytorv, preste atenção porque você passará logo por duas lojinhas de contos de fadas: a Summerbird Chocolaterie e a A.C. Perch´s Thehandel (Foto acima). Sem a devida atenção essas duas joias podem passar despercebidas.

Summerbird

Na Summerbird, chocolateria artesanal, você conhecerá um tipo especial de flødeboller (pastel de nata), que em suas versões mais simples são vendidos até em supermercados. Mas o da lojinha tem uma base de marzipã (creme de amêndoas), é recoberto de chocolate e recheado de merengue. Além do flødebolle, você sucumbirá, certamente, à tentação de vários integrantes do elenco de chocolates de primeira qualidade, muitos deles na forma de ovos de pássaros. As embalagens para presente são primorosas.

Mais adiante, na Kronprinsensgade (Rua do Príncipe), fica a A.C. Perch, a loja mais antiga de chá da Dinamarca e da Europa. Abriu as portas em 16 de abril de 1835 e a decoração permanece a mesma com duas importantes inovações: energia elétrica e máquinas de cartão de crédito. Ali são vendidos os melhores chás do mundo, ainda pesados na balança original de bronze. Para assegurar-lhes a qualidade e frescura, eventuais misturas (blends) são feitas apenas depois da compra efetivada, quando o cliente é presenteado com uma xícara da bebida feita a partir de preciosidades guardados em latas antigas.

O atendimento é cuidadoso e os compradores recebem conselhos sobre a melhor forma de fazer e se deliciar com os chás escolhidos. Entre as mais de 130 seleções de chás disponíveis, várias delas são dedicados à família real. Há os blends da Rainha, da Princesa e o do Príncipe. Em homenagem ao bem amado escritor das mais belas e tristes histórias infantis (O soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia), Hans Christian Andersen, Perch apresenta um blend de conto de fadas: chá preto chinês com um doce sabor cítrico e toques de um tipo especial de marmelo.

Clara Favilla

Clara Favilla é jornalista. "Mais do que conhecer novos lugares, amo retornar. Reportariar é meu ofício. Vivo viajando, até pela quadra onde moro, em Brasília. Escreverei sobre viagens aqui. Serão impressões pessoais,mais do que guias. Espero que gostem, deem retorno e sugestões."

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.