Dilma vê “inimigos externos” da Petrobras; Nos jornais desta sexta (2)

02/01/2015 08h25m. Atualizado em 02/01/2015 10h48m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

A posse e o discurso da presidente Dilma Rousseff estão em todos os jornais, inclusive os de maior circulação, nesta sexta-feira (2). “Dilma recicla promessas e vê “inimigos externos” da Petrobras, é o título do O Globo. “Dilma diz que vai defender Petrobras de “inimigos externos”, diz o Estado de S.Paulo. “Dilma promete ajustar a economia ‘com o menor sacrifício possível’” foi a escolha da Folha de S.Paulo.
Os três matutinos destacaram as partes mais fortes do discurso, como o lema lançado de “Brasil, pátria educadora”. Todavia, segundo O Globo, o lema já havia sido usado em 2013.
O pacto contra a corrupção, ou a defesa da Petrobras sem admitir os erros do governo, também foram apontados pelo jornal carioca. Terceirizando a responsabilidade, como disse aqui no blog nesta quinta feira (1).
O Valor Econômico fez o título assim: “Ajuste sem trair compromissos”. Foi o que ela prometeu. Inclusive, afirmou que não mexeria em direitos trabalhistas, dias depois de ter aumentado, de seis para dezoito meses de trabalho com carteira assinada, o tempo mínimo exigido para se ter direito ao seguro desemprego. Além disso, mudou o formato do abono salarial. Esperava-se que ela defendesse a necessidade das mudanças como a que fez em relação às pensões para viúvos e viúvas jovens, mas ela preferiu afirmar que não mudaria direitos previdenciários.
Alguns jornais destacaram a ausência de qualquer referencia à oposição. Ela falou de ajuste pela primeira vez, lembrou o Valor, mas de forma genérica e enumerando em seguida compromissos que vão significar aumentos de gastos. Em Belo Horizonte, o governador Fernando Pimentel atacou gestão tucana de duas décadas, que sua posse encerra. Em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin, mantendo a longa permanência dos tucanos no governo, atacou o governo federal. No Rio, o governador Luiz Fernando Pezão falou em corte de 25% das despesas com investimentos. O Rio tem recebido uma receita de royalties menor pela queda do preço do petróleo e crise da Petrobras. Em geral, governadores falaram das dificuldades fiscais que enfrentarão.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.