E no último dia do ano: um brinde porque ninguém é de ferro

31/12/2014 12h01m. Atualizado em 04/01/2015 17h05m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Último dia de um ano intenso e cansativo. Para o país foi de uma eleição em que houve mais reviravoltas nas intenções de votos do que em qualquer outra e uma tragédia que alterou o quadro da disputa. Na economia, foi ano de crise que o governo negou até o fechamento das urnas. Foi o ano do escândalo tão enorme, o descoberto pela Operação Lava Jato, que o dia da prisão de parte dos acusados foi denominado de “Juízo Final”. No esporte, foi o ano de descobrir que o silêncio do Maracanã em 1950 até que não foi tão ruim; pior foi o 7×1 no Mineirão. Ao menos, somos agora o país do Surfe com o campeão mundial Gabriel Medina. No mundo, foi um ano de radicalismo e surpresas boas como contado aqui por Sérgio Abranches.
Para este blogueiro foi também ano de muito trabalho e reviravoltas. Comecei este blog sem muita pretensão, para continuar buscando notícias, que é o meu ofício, e ele virou uma fonte de alegrias… e de muito trabalho.
Vieram amigos como Clara Favilla contar de suas viagens, Graça Seligman com sua arte, Sérgio Abranches com suas análises internacionais. Ganhei de presente a publicação de uma poesia inédita de Marina Silva. Publiquei textos de amigas como Débora Thomé e Valéria Maniero. Gabriela Moreira tem dado passes certeiros na cobertura esportiva e fez um golaço ao contar que futebol é coisa de mulher. Também. O blog passou até a ter um correspondente em Paris, Pierre Pichoff com textos que vão dos chocolates à visão de Brasília por um estrangeiro. Miriam Leitão avisou que queria escrever crônicas aos sábados sobre assuntos que nunca cabem no seu cotidiano de jornalista de economia.
Muita gente ajudou na área técnica ou nos bastidores, como Claudia Fernandes, Rodrigo Tebaldi, Flavia Correa, Carla Amorim e outros. Agradeço ao meu pai e meu irmão, Marcelo e Vladimir, que sempre posso contar.
E foi animador ver subir o número de visitas. Hoje já acumula 246 mil em dois meses, quando foram publicados 521 posts.
O jornalismo está mudando radical e constantemente. Os veículos tradicionais se atrapalham nesse período de transição. Novas plataformas e novas formas de produzir conteúdo estão surgindo a cada dia. Ninguém sabe, com absoluta segurança, para onde vai o mundo da comunicação.
O blog quer ficar nesse mundo, de olho em muita coisa, escolhendo notícias para destacar, registrando os destaques dos jornais, trazendo textos inéditos, e buscando novidades que vão do hard news ao entretenimento. Meio ambiente e o mundo (as vezes) estranho dos animais foram contemplados. Também fiz análises, como uma sobre a Comissão da Verdade. E como ninguém é de ferro, este é o último post do ano. Um brinde a todos vocês e… Feliz Ano Novo!

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

4 Comentários para "E no último dia do ano: um brinde porque ninguém é de ferro"

  • Graça
    Graça 31-12-2014 (2:08 pm)

    Caro Matheus, você criou um blog interessantíssimo e EU agradeço a oportunidade de publicar minhas fotos aqui. Um beijo, obrigada e vamos em frente!. Um grande 2015 para todos.
    Graça Seligman

  • Miriam Keitao 31-12-2014 (10:00 pm)

    E eu me divirto com as crônicas. A economia e a política do Brasil não dão tempo para esse pensar solto da crônica. Gosto muito de estar aqui. Bjs miriam

  • André Augusto 31-12-2014 (11:21 pm)

    Apesar de tudo, foi um ano de muitas conquistas. Tanto para mim, quanto para este blog. Feliz ano novo! E parabéns a toda a equipe, vocês merecem!

  • Carla Amorim 02-01-2015 (3:44 pm)

    Foi uma honra ajudar na história desse blog. Que em 2015 o sucesso se multiplique e que você continue dando essa contribuição importantíssima para o jornalismo brasileiro. Feliz ano novo!

Comente

O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.