Pesquisa alerta: uso excessivo de smartphones e televisores deve ser evitado para crianças até 2 anos

31/12/2014 08h06m. Atualizado em 01/01/2015 11h18m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Televisão, ipad, iphone, smartphones, computadores, videogames e outros eletrônicos devem ser evitados para bebês e crianças menores de dois anos de idade, diz estudo da renomada instituição “American Academy of Pedriatrics” (AAP).
De acordo com a pesquisa, o cérebro da criança se desenvolve com muita rapidez nos primeiros anos, mas elas aprendem mais e melhor interagindo com pessoas e não com telas.
Segundo a AAP, as crianças passam em média sete horas por dia entretidas com televisão, computadores, telefones, entre outros meios eletrônicos de comunicação.
As consequências deste excesso de telas no início da educação são infâncias marcadas por déficit de atenção, dificuldades escolares, sono, transtornos alimentares e obesidade. Comportamentos ilícitos e arriscados também podem ter origem na interação desregrada com os meios eletrônicos.
A AAP garante que jogos ao ar livre, leitura, e brincadeiras coletivas ajudam mais ao desenvolvimento infantil do que as telas. A associação recomenda que os pais mantenham em suas casas “zonas livres de eletrônicos”, sem televisores, computadores ou videogames, para que a criança possa desenvolver a imaginação de forma mais saudável.
A AAP aconselha ainda apenas duas horas diárias de brincadeiras com eletrônico para crianças em fase de desenvolvimento.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.