Rússia aumenta o cerco contra liberdade e fecha TV independente. Facebook e Twitter podem ser proibidos; Por Pierre Pichoff

30/12/2014 16h50m. Atualizado em 31/12/2014 08h08m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O canal de televisão a cabo TV-2, transmitido na Sibéria, será forçado a sair do ar a partir de 1o. de janeiro de 2015, por ordem do governo russo. O editor-chefe da TV, Victor Mouchnik, reclamou de “pressões” do governo em relação ao conteúdo transmitido pela tevê.
“Faz muito tempo que o canal incomoda. Estávamos sempre sob pressão para mudar nossa linha editorial”, disse Mouchnik, que se recusa a classificar o canal como de “oposição ao poder”.
“A situação política mudou e agora todos os meios de comunicação social estão sendo monitorados”, avaliou Muchnik. “Se nós não tivéssemos notícias e análises, os nossos problemas não existiriam.”
A TV-2 é um popular canal da cidade de Tomsk e já havia sido privada de antena durante dois meses em 2014. Na ocasião, o governo russo alegou que houve um “acidente” na torre da televisão que transmitia o canal.
Esse é apenas mais um dos capítulos do cerceamento da liberdade de expressão na Rússia. A TV-2 era um dos últimos veículos tidos como independentes no país. O canal independente Dojd também sofre duras represálias do governo por transmitir protestos contra o governo e perdeu a licença do seu estúdio de transmissão. O Dojd funciona hoje em um local improvisado, cujo endereço o veículo não divulga, por temer mais represálias.
O Facebook e o Twitter devem ser os próximos alvos da censura do governo russo. De acordo com fontes da TV Dojd, as redes sociais já estão preparadas para serem totalmente bloqueadas no país. O governo russo não tolera páginas que combinam protestos e as redes não estão dispostas a bloquear a liberdade de usuários.
Como se não bastasse, uma lei aprovada recentemente proibiu que investidores estrangeiros possuam mais de 20% de veículos de comunicação. Com a medida, os estrangeiros terão de vender grande parte de sua participação nas mídias locais. Com isso, o governo russo acredita que terá mais poder sobre a comunicação produzida no país.
“Essa lei foi votada para reforçar a soberania da Rússia, já que as mídias estão diretamente ligadas à formação da opinião publica” declarou o vice presidente do parlamento, Serguei Jelezniak.
Vladimir Putin (foto acima) poderia escutar mais uma legendária canção russa que diz o seguinte: “Que ele se lembre de uma garota comum. Deixe-o ouvir a música que ela canta. Deixe-o proteger sua pátria, como Katyusha conserva seu amor”.

Pierre Pichoff

Formado como piloto comercial de avião, Pierre Pichoff mora em Caen, na Normandia, França. Ele é o diretor de uma empresa de turismo, a "Descobrindo a Normandia", que oferece passeios personalizados sobre a história da Segunda Guerra Mundial na Normandia, além de Paris e outros roteiros na França.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.