Elefante faz o próprio “Lava-jato” ao quebrar cano; Vídeo imperdível

24/12/2014 08h40m. Atualizado em 24/12/2014 08h45m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Para homenagear um dos animais mais magníficos da terra, o elefante, o blog compartilha nesta quarta-feira (24) um vídeo que virou hit na internet nos últimos dias.
Em recuperação num dos mais importantes centros do mundo, o Elephant Nature Park, na Tailândia, um elefante quebrou o cano de externo de um regador e, com isso, fez o seu próprio “Lava-jato”, nome da operação que assombrou a República brasileira em 2014, mas que para ele é apenas uma forma de se refrescar.
Postado no dia 15 de dezembro na rede social Youtube, o vídeo teve mais de 81 mil visualizações. As imagens se tornam pública em um bom momento para a espécie ameaçada.
Nesta segunda-feira (22), reportagem do jornal The Telegraph mostrou que autoridades do Zimbábue cometeram um crime contra a natureza.
De acordo com informações do grupo ativista Zimbabwe Conservation Taskforce (ZCTF), cerca de 36 bebês de elefantes foram retirados da vida selvagem e levados para zoológicos e circos na China.
Na mesma semana, um dos maiores chefes do comércio ilegal de marfim de elefantes da África foi preso na Tanzânia. O queniano Feisal Ali Mohammed foi capturado após a divulgação de uma lista com os nove homens mais procurados pela Interpol por crimes contra o meio ambiente.
O blog é veementemente contra a manutenção de animais selvagens em cativeiros e zoológicos e devolução desses animais ao seu habitat natural.
Elephant Nature Park é justamente um centro de reabilitação, oferecendo um ambiente natural para paquidermes. Que a Lava-Jato daqui seja uma operação que nos ajude a remover certas práticas sujas da política, tanto quanto o Lava-Jato que permitiu a limpeza geral do elefante. Veja o vídeo imperdível:

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.