Chuva castiga Brasília na madrugada de quarta (17); Vídeos

17/12/2014 08h22m. Atualizado em 18/12/2014 08h28m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Uma forte chuva castigou a capital da República na noite desta terça-feira (16) e madrugada desta quarta (17), deixando um cenário assustador.
Sem exagero, o quadro era de caos nas ruas de Brasília por volta de meia noite: ruas alagadas, dezenas de carros parados (alguns deles literalmente boiando em pequenos rios que se formaram como mostra a foto acima), congestionamentos, aventureiros com suas caminhonetes em cima das calçadas/descampados e um breu sem sinalização alguma.
De saída de uma confraternização de final de ano, este blogueiro presenciou os casos relatados acima e levou uma hora e meia para chegar em casa em um trajeto que, normalmente, dura 15 minutos. Para quem conhece a capital, o caminho era do Setor de Clubes Sul até a Asa Norte*.
Todavia, impedido em alguns lugares por esses rios e lagos, o jeito foi dar a volta em diversos pontos até encontrar o caminho mais seguro para casa.
No trajeto, houve até o susto de ver um caminhão do corpo de bombeiros tombado em meio a um desses lagos – exatamente na pista que liga a Esplanada dos Ministérios ao eixinho norte (* de novo).
Foi nesta hora que o condutor do veículo, o advogado Rafael Oliveira (sim, eu estava de carona), soltou uma frase que este blogueiro também pensava: “Que agonia. Parece que não vai dar para chegar em casa”.
Deu. Rafael e sua esposa, Débora Oliveira, grávida de dois meses, conseguiram me deixar em casa, já de madrugada, e seguiram para um prédio aqui do lado. Aos amigos (e vizinhos), inclusive, agradeço publicamente a carona.
Sem a mesma sorte, um amigo em comum, o empresário Rodrigo Prado, que também participou da confraternização, não chegou em casa. Alias, chegou… mas não entrou, digamos.
Morador de um condomínio no mesmo bairro, a entrada do prédio estava completamente alagada (Veja foto abaixo).

Morador de um condomínio  na Asa Norte encontra  a entrada do prédio completamente alagada ao voltar de confraternização. O jeito foi dormir na casa de parentes (Foto: Rodrigo Prado)

Morador de um condomínio na Asa Norte encontra a entrada do prédio completamente alagada ao voltar de confraternização. O jeito foi dormir na casa de parentes (Foto: Rodrigo Prado)

Prado escreveu mensagem para nós: “[Cheguei]. Só não dá para entrar em casa. Tem que esperar a [água] baixar. Condomínio alagado”. A imagem abaixo foi enviada por sua esposa Thays, quando eles desistirem de dormir em casa, aventurando-se para outro “setor” de Brasília.

Foto: Michel Medeiros

Eles — Rodrigo e Thays — acabaram dormindo na casa de parentes.

Em tempo: Escrevi a nota com o resto de bateria que falta no meu computador, usando o celular para ter acesso à internet. Minha casa está sem luz desde às 22h30 desta terça (16). A luz, que nos move, ainda não voltou. Desde que o governador Agnelo Queiroz (PT) perdeu a reeleição, a cidade parece abandonada e descuidada. O resultado de apenas uma parte aparece relatado aí em cima, já que estamos falando da área mais nobre da cidade.  A chuva também deixou estragos na periferia e cidades satélites.

* Para quem não conhece a capital, não estranhe. Aqui tudo é setorizado mesmo e com nomes de partes da hoje senhora aeronave montada pelo inesquecível Oscar Niemeyer. Tive a honra de entrevista-lo para a revista Época em 2009. Mas isso já é uma outra história.

Atualização: A luz voltou às 10h25. Ou seja, 12 horas de apagão.  Assim que voltou, recebi mais uma imagem compartilhada por  um dos integrantes da confraternização, o personal trainer e pastor Marco Antônio Peres. A foto abaixo mostra o estrago no prédio onde trabalha sua esposa, a psicóloga e pastora Julia Manzoni, na quadra 311 Norte.

 

Estrago em comércio da 311 Norte

Estrago em comércio da 311 Norte

 

Alias, os relatos nesta manhã são: prédios e viadutos interditados e pessoas sem conseguir entrar no trabalho em vários lugares do plano piloto, centro de Brasília. Vídeos que circulam na internet e em grupos de Whatsup são inacreditáveis, como os do Brasília Shopping, um dos principais da cidade, e do hospital Santa Helena, onde nasceram meus filhos. Estavam inundados. O blog ligou para os dois locais há pouco. A emergência do Santa Helena, justamente o local filmado, está interditada e será reaberta à tarde. O shopping já está funcionando, apesar da “cachoeira” que caia  no primeiro piso. Partes da garagem ainda estão sendo liberadas.

Hospital Santa Helena inundado:

Shopping de Brasília inundado:

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

2 Comentários para "Chuva castiga Brasília na madrugada de quarta (17); Vídeos"

  • Débora Oliveira 17-12-2014 (10:38 am)

    Ficou ótimo Matheus, relata exatamente a agonia que sentimos ontem tentando chegar em casa.

  • Thays Prado 17-12-2014 (11:37 am)

    Que desastre e quanto prejuízo… Muito tenso o caminho para casa ontem!

Comente

O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.