PSB, PPS, PV e SDD negociam formação de bloco de olho nas próximas eleições

15/12/2014 17h15m. Atualizado em 16/12/2014 11h57m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

As próximas eleições municipais e federais terão uma novidade: o bloco partidário formado pelos partidos PSB, PPS, PV e Solidariedade está se concretizando e será lançado na semana que vem. Com o nome de Federação Partidária, o principal objetivo dos dirigentes é aumentar a força da oposição, mas ao mesmo tempo criar uma alternativa à polarização entre PT e PSDB.

Nas eleições desse ano, o pouco tempo de propaganda política dos quatro partidos foi considerado fator determinante para a derrota, incluindo o fato de Marina Silva, candidata do PSB na ocasião, não ter chegado ao segundo turno. “Nós sofremos muito na eleição porque só tínhamos um minuto para rebater as acusações e apresentar nosso programa”, comentou o Deputado Beto Albuquerque (foto), do PSB-RS e candidato a vice-presidente na chapa de Marina.

O bloco não representa uma fusão, mas nas próximas eleições ele se posicionará como um único partido, inclusive na tomada de decisões e uso do tempo de propaganda no rádio e TV, que agora passa a ser de três minutos e meio. Dirigentes das quatro legendas participarão das coordenações municipais, estaduais e federal do bloco, que já possui um estatuto.

Candidata à Presidência nas últimas eleições após a morte de Eduardo Campos, agora Marina Silva tenta viabilizar a criação da Rede Sustentabilidade, projeto que foi barrado em 2013 pelo Tribunal Superior Eleitoral sob o argumento de não ter o grupo não ter conseguido o número de assinaturas exigido por lei.

Em entrevista ao blog, o coordenador nacional de organização da Rede, Pedro Ivo, explicou por que eles continuarão empenhados na criação do partido. “A legalização não é só um desejo dos seus membros, mas é também uma necessidade da sociedade”. “A sustentabilidade está órfã e há a demanda de um partido para coloca-la na ordem do dia”, disse.

Um dos fatores que pode atrapalhar a entrada do partido de Marina Silva no novo bloco é a diferença de posicionamento entre a Rede e o PSB em relação à oposição que querem exercer no Brasil. Após as eleições presidenciais, os marineiros preferiram se manter distantes dos tucanos, enquanto os integrantes do PSB mantém um diálogo frequente com o PSDB.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.