Espaço para fumar vai ficar mais difícil com nova lei antifumo

03/12/2014 08h18m. Atualizado em 03/12/2014 14h50m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Os fumantes vão ficando cada vez mais sem espaço. A partir desta quarta-feira (3), passa a valer a regulamentação da Lei Antifumo, aprovada pelo Congresso em 2011. Com ela, locais parcialmente abertos, mas com parede, divisória, marquise, teto ou toldo não podem mais ser usados pelos fumantes. Passa a ser proibido, por exemplo, fumar na parada de ônibus e até mesmo na varanda de bares. Entre as exceções estão locais que abrigam cultos religiosos, se o fumo fizer parte do rito.
A Lei Antifumo proíbe o fumo de cigarrilhas, charutos, cachimbos, narguilés e outros produtos em locais de uso coletivo, públicos ou privados, como halls e corredores de condomínios, restaurantes e clubes. Para o fumante, restam a casa, áreas ao ar livre, parques, praças, áreas abertas de estádios de futebol, vias públicas e tabacarias.
Os fumódromos serão extintos. E a propaganda comercial de cigarros, mesmo nos pontos de venda, onde era permitida publicidade em displays, fica proibida. Será permitida apenas a exposição dos produtos, acompanhada por mensagens sobre os males provocados pelo fumo.
Os fabricantes terão que aumentar os espaços para avisos sobre os danos causados pelo tabaco nos produtos. A mensagem deve ocupar 100% da face posterior das embalagens e de uma de suas laterais. Há quem considere isso autoritarismo. Mas as estatísticas são claras sobre os riscos de inúmeras doenças provocadas pelo cigarro, há uma enorme mobilização de gastos públicos para tratar todas as complicações decorrentes do vício, e os não fumantes precisam ser protegidos dos efeitos do fumo passivo.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.