Aprovação do “miniávit” é desafio do governo na semana

01/12/2014 09h00m. Atualizado em 02/12/2014 07h37m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Esta semana o governo tentará aprovar no Congresso o miniávit. O que é isso? É uma invenção de Frederico Mack Filgueiras, um amigo desse blog para nomear o novo superávit primário. Já que não será de 116 bilhões, não merece o super. Se ficar em 10 bilhões é um mini… o “miniávit”.

Reprodução internet

Reprodução internet

Frederico, o amigo do blog, acredita que em tempos de miniatura, pibinho combina com miniávit (Foto ao lado). Mas voltando ao tema, o governo terá como principal desafio esta semana retomar a votação da mudança da meta fiscal que há duas semanas provoca bate boca no Congresso.
Para conseguir aplacar a crise econômica, o governo resolveu mudar a lei que previa um superávit de R$ 116,07 bilhões por um “cheque em branco” para permitir inclusive que o Brasil termine o ano com saldo negativo.
Na semana passada, a Secretaria do Tesouro Nacional anunciou que 2014 registrou o pior outubro da economia desde 2002, mas com um saldo positivo de R$ 4,1 bilhões, após cinco déficits primários consecutivos.
Por isso, não mudou muito a situação do acumulado do ano: o governo federal está com as contas no vermelho e apresenta déficit primário de R$ 11,57 bilhões, em dez meses. Mas ainda não perdeu a esperança de terminar o ano com um pequeno resultado positivo.
A oposição tem conseguido adiar a mudança pretendida, mas a tendência é que, em algum momento, a base governista, pela maioria, acabe confirmando, a saída enviesada apresentada pelo governo.
É esperar para ver. Nova sessão do Congresso foi remarcada para às 18h amanhã, terça-feira (2).
Desta vez, a meta fiscal não será o primeiro item a ser apreciado. Dois novos vetos presidenciais passarão a obstruir a pauta.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.