Ganância não deixa mundo acabar com a fome, avalia Papa Francisco

21/11/2014 16h12m. Atualizado em 10/12/2014 23h10m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Durante a Conferência Internacional sobre a Desnutrição, na sede da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), em Roma, o Papa Francisco avaliou que a luta contra a fome e a desnutrição encontra obstáculos na prioridade do mercado e no prevalecimento da “ganância”, nesta quinta-feira (20).
O Papa Francisco disse que o sistema econômico mundial reduziu o significado dos alimentos a uma mercadoria qualquer, sujeita a especulações financeiras.
Ele afirmou que o mundo vive o “paradoxo da abundância” e citou o Papa João Paulo II em sua pregação sobre a fome: “há comida para todos, mas nem todos podem comer enquanto o desperdício, o consumo excessivo e o uso de alimentos para outros fins permanece visível a todos os olhos.”
O líder católico chamou à atenção da humanidade: “o faminto que está na esquina de uma rua, a pedir que seja considerado em sua condição e receba uma alimentação saudável”. E resumiu que o faminto “quer dignidade e não esmola”.
Ele fez um apelo aos governantes para combater a fome, na presença de representantes de mais de 170 países.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

    Comente

    O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.