Gilmar Mendes diz que são de outra galáxia os valores de propina na Petrobras

20/11/2014 20h03m. Atualizado em 21/11/2014 08h24m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

Em entrevista nesta quinta-feira (20), o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes comparou os valores do esquema de corrupção do Mensalão do PT com o novo, apelidado de Petrolão.
Na opinião de Mendes, após o surgimento do escândalo da Petrobras, em março de 2014, os valores desviados na compra de votos da base aliada tornaram-se pequenos e poderiam ser analisados em juizados cíveis. “Agora, a AP 470 [processo do Mensalão] terá que ser julgada em juizado de pequenas causas pelo volume que está sendo revelado nesta demanda”, disse. “Estamos em outra galáxia”.
Gilmar Mendes externou o que alguns brasileiros já devem ter avaliado. O dinheiro desviado no escândalo do Mensalão — em torno de R$ 170 milhões — é menor diante dos valores astronômicos das propinas na Petrobras. O problema é que a partir de uma certa quantia, o número perde o significado, uma vez que a mente humana não consegue achar referências para o que representa aquele valor.
Uma pessoa pode saber que com R$ 1 milhão é possível comprar um imóvel de alto luxo, mas não consegue imaginar tudo o que é possível comprar com R$ 500 milhões, por exemplo. E, ao comparar R$ 100 milhões, R$ 500 milhões, ou R$ 23 bilhões, como pode ser o caso dos desvios da Petrobras, os valores caem na categoria do inimaginável.
Gilmar Mendes acredita ainda que as prisões de políticos e empresários no caso do Mensalão parecem não ter surtido efeito didático. “As penas aplicadas não tiveram qualquer efeito inibitório”, avaliou o ministro.
Gilmar Mendes discordou da declaração do advogado de Fernando Baiano, Mario de Oliveira Filho, divulgada nos jornais desta quinta, sobre a relação entre empreiteiras e políticos no Brasil, dizendo que “se não fizer acerto [com políticos], não coloca um paralelepípedo no chão”.
“Eu não acredito que seja assim. Eu tendo a acreditar que há atividades normais. Acho que esse tipo de situação é excepcional”, disse o ministro.
Gilmar está no STF desde 2002, quando foi indicado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.

3 Comentários para "Gilmar Mendes diz que são de outra galáxia os valores de propina na Petrobras"

  • Nelson Évora 21-11-2014 (9:53 am)

    O comentário do advogado Mário de Oliveira Filho condi com a realidade , assim como o Lula no exercício da presidencia em 2005 declarou numa entrevista em Paris quando da descoberta do mensalão que O caixa 2 é uma coisa absolutamente normal e seria uma prática usual. E aí porque voces jornalistas não citam esse episódio em seus comentários?

  • Antonio santos rocha 21-11-2014 (12:24 pm)

    O comentário do advogado,Mario de Oliveira Condi, é a mais pura verdade.Basta olhar para cidades pequenas aonde candidatos a prefeitos gastam 3 milhões em campanhas. Com que objetivo se gasta isso se o salário de 4 anos de um prefeito não se ganha isso. Precisa buscar outra justificativa além de entender que isso só se tira com corrupção.Ou se muda a constituição do país,para que isso seja crime de pena de morte ou vamos caminhar apenas fazendo comentário para ao resto da história.

  • JoséVieira de Lima 21-11-2014 (4:23 pm)

    Vejam as penas do Mensalão, na sua maioria transformadas em prisão domiciliar quer talvez nem tenha fiscalização.Ou se coloca a corrupção como crime inafiançavel e com o cumprimento de pena mais longa em regime fechado sem exceção, ou vai continuar tudo do mesmo jeito. E o dinheiro roubado ninguem consegue recuperar. Sabe-se Deus quantas pessoas já morreram ou anda vão morrer por falta dese dinheiro.A propósito: as contas zeradas dos envolvidos no mensalão só pode ter sido vazamento de informação. Todas as instituições do páís estão corrompidas.É lamentável !!!!!!!

Comente

O autor do blog não se responsabiliza pelo comentário.