“16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher” tem início no Brasil

20/11/2014 18h42m. Atualizado em 21/11/2014 08h43m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O Dia da Consciência Negra, comemorado nesta quinta-feira (20), também marca o início da campanha 16 dias pelo fim da violência contra a mulher no Brasil.
Cerca de 150 países desenvolvem esta campanha, de iniciativa do Centro de Liderança Global de Mulheres (Center for Women’s Global Leadership – CWGL), com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência.
O período escolhido pela CWGL para os 16 dias da campanha é simbólico: dia 25 de novembro éo dia Internacional de Não Violência Contra as Mulheres e dia 10 de dezembro, dia Internacional dos Direitos Humanos.
No Brasil, a data de lançamento da campanha foi antecipada para o dia 20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra – pelo reconhecimento da opressão e discriminação históricas contra a população negra.
Pesquisa realizada pelo Senado em 2013, revela que 700 mil brasileiras sofreram agressões, principalmente de seus companheiros, e que cerca de 20% da população feminina acima de 16 anos já foi vítima de algum tipo de agressão.
De acordo com o Mapa da Violência de 2012, entre os anos de 1980 e 2010, foram assassinadas no país perto de 91 mil mulheres, 43,5 mil só na última década. O número de mortes nesses 30 anos passou de 1.353 para 4.297, o que representa um aumento de 217,6%.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.