Vice da Mendes Júnior diz que foi obrigado a pagar propina de R$ 8 milhões e Fernando Baiano se entrega

18/11/2014 22h51m. Atualizado em 18/11/2014 22h51m

CompartilheShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on RedditShare on VK

O vice-presidente da construtora Mendes Júnior, Sérgio Cunha Mendes, afirmou nesta terça-feira (18) em depoimento à Polícia Federal que foi obrigado a pagar propina de R$ 8 milhões ao doleiro Alberto Youssef. O conteúdo da declaração foi confirmado pelo advogado da Mendes Júnior, Marcelo Leonardo, na sede da Polícia Federal, em Curitiba.
Segundo o advogado, o doleiro Alberto Youssef exigiu da Mendes Júnior o pagamento da propina para, entre outros benefício, continuar participando das licitações da Petrobras. Ainda de acordo com Marcelo Leonardo, A propina foi paga em quatro parcelas, de julho a setembro de 2011.
Já Fernando Soares, o Fernando Baiano, que estava foragido, se entregou na tarde desta terça-feira (18) no mesmo presídio.
Em depoimento não sigiloso à Justiça do Paraná, o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto da Costa apontou Fernando Baiano como o operador do PMDB no esquema de corrupção que atuava na Petrobras.
O vice-presidente da República e presidente do PMDB, Michel Temer, negou à imprensa na segunda-feira (17) a relação de Fernando Baiano com o PMDB: “Ele pode ter, eventualmente, relação com um ou outro membro do PMDB. Jamais houve qualquer operador do partido”, disse.

Matheus Leitão

Matheus Leitão é jornalista há 15 anos. Em sua carreira, passou pelas redações do Correio Braziliense, revista Época, portal iG e Folha de S.Paulo. Matheus recebeu o Prêmio Esso por duas vezes, o Troféu Barbosa Lima Sobrinho -- além de menção honrosa no Vladimir Herzog. Entre 2011 e 2012, esteve na Universidade de Berkeley, na California, como Visiting Scholar.